Wladimir perde o controle ao ser questionado sobre Hospital de Campanha

0

Filho feio não tem pai

Sob investigação de superfaturamento, o Hospital de Campanha de Campos do Estado em Campos teve a sua inauguração adiada pelo Governo do Estado e vem causando forte desconforto ao deputado Federal Wladimir Garotinho, que andou posando de “pai da criança”, mas que, depois das denúncias, passou a negar de pés juntos essa, agora, indesejada paternidade.

“Paternidade” de hospital deixa Wladimir à beira de um ataque de nervos

A exemplo dos seus pais Garotinho e Rosinha, o imaturo deputado federal campista Wladimir Garotinho não consegue manter-se longe de estranhas e pouco recomendadas polêmicas.

Wladimir posava de Pai da criança, diante das denuncias de superfaturamento passou a negar a paternidade

Esta semana, ele voltou estrelar mais uma delas. Depois de seguidamente posar de “pai” do Hospital de Campanha do Estado em Campos e em seguida, negar a “paternidade” da iniciativa após virem a público graves denúncias de superfaturamento do hospital, com cobranças 10 vezes maiores que outros hospitais de campanha montados pela mesma empresa, e ter as suas obras paralisadas e sob investigação do Ministério Público, o deputado perdeu o controle com a pergunta de um internauta na redes sociais sobre a data da inauguração do Hospital de Campanha do Estado em Campos e, ao invés de explicar as denúncias de superfaturamento ou falar sobre a data de inauguração, partiu para ofensas e graves ameaças:

Wladimir garotinho: “Seu vagabundo! Vai procurar a sua turma! Vou pegar a gravação sua oferecendo dinheiro a candidatos a vereador que chegou as minhas mãos e entrar na polícia, vai voltar para a cadeia rapidinho. Só tenho (*pena) pela sua filha.”

Calilthiago: “Falar é fácil prove deputado joga para galera não como seu pai sempre fez… vc se mostra igual a ele a máscara caiu né… quando me prenderam não tiveram pena da minha filha, porque está agora amigo… quero vc na urna… amanhã contínuo trabalhando viu… 2020 chegou, vc não queria tanto”…

Por que Wladimir ameaça com gravação e não levou antes a polícia?

Em sua resposta, o imaturo filho de Rosinha e Garotinho, deputado Wladimir, ameaça o seu interlocutor com uma gravação que estaria em seu poder e que pode provar crimes. Porque então não as levou a polícia quando teve acesso a elas?

Essa conduta, de omissão diante de um eventual crime, ocultação de prova dele e utilização para ameaças é, no mínimo, imoral, e fere frontalmente a postura ética que se espera de uma autoridade como um deputado Federal. Seria muito interessante saber o que diria sobre isso a Comissão de Ética do Congresso Nacional.

Nota do editor

Além dessas ofensas e acusações, outras foram feitas, mas o Somos Online se reserva de não publicar, pois existem acusações, ainda sem provas, envolvidas.

Ofendido foi acusado de comprar votos para Rosinha, mãe de Wladimir, na “Cinquentinha”

O detalhe é que seu interlocutor era Thiago Calil, ex-militante do seu grupo político e ex-subsecretário de Governo de Rosinha, investigado pela Polícia Federal como comprador de votos em Vila Nova para a então candidata Rosinha Garotinho, mãe do deputado Wladimir, nas eleições de 2008. Denúncias de uma militante desfecharam a famosa “Operação Cinquentinha” da PF que levou o Ministério Público a denunciar de 21 pessoas.

Thiago foi subsecretário de Governo de Rosinha

Mais impressionante ainda é que Thiago Calil, um dos principais apontados na quadrilha de compra de votos em Vila Nova, após a eleição de Rosinha Garotinho como prefeita de Campos, foi um dos primeiros nomeados por ela para ocupar cargo de alto escalão em sua equipe, como subsecretário de Governo. Por conta da “Operação Cinquentinha”, Tiago esteve preso por dez dias por cerceamento à testemunha Núbia Cunha.

Ingratidão

Essa estranha postura de Wladimir contra seus ex-aliados mostra que ele é um grande ingrato com os militantes do seu grupo político, inclusive muitos dos que foram condenados por compra de votos e se abstiveram de fazer acusações contra ele e seus pais Rosinha e Garotinho.

Duas palavras

A raivosa e descontrolada postura do deputado Wladimir Garotinho, no estranho episódio do Hospital de Campanha do Estado, estranhamente desdizendo que havia dito que “bateu o martelo” no local de instalação com o secretário estadual de Saúde Edmar Santos, é uma grande contradição. Veja os vídeos abaixo, que mostram claramente tem duas palavras.

Antes “bateu o martelo”…

Depois negou a paternidade…

NENHUM COMENTÁRIO