Curso gratuito de defesa pessoal para mulheres

0

“Eu Me Defendo” – curso de defesa pessoal para mulheres

A Prefeitura de Campos, através da Fundação Municipal de Esportes (FME), disponibiliza vagas para o projeto “Eu Me Defendo”. A proposta é oferecer técnicas de defesa pessoal a mulheres, vítimas ou não de violência doméstica, para enfrentamento em situação de risco.  Para se inscrever basta comparecer à sede da FME, de segunda a quinta-feira das 8h às 12h e das 14h às 17h, para matrícula.

As aulas acontecem as terças e quintas-feiras, de 8h às 9h e as quartas e sextas-feiras das 16h às 17h, sob coordenação do professor César Pinudo. A sede da FME está localizada na Rua do Gás, 499, Centro.

A dona de casa Carla da Silva Dias Cândido, 42 anos, é uma das primeiras alunas do projeto e continua firme nas aulas. “Acho muito importante fazer parte desse grupo de mulheres que busca orientação para se defender. Tem gente que pensa que usamos da força, mas não é assim. São técnicas precisas com que conseguimos surpreender o agressor e nos defender. Eu mesma já usei duas vezes e me sai muito bem. As mulheres precisam vencer o medo e buscar meios que venham a dar mais segurança,” destacou Carla.

O professor César Pinudo destacou que no início foi pensado um formato de curso de três meses. “Mas como as mulheres gostaram e estão sempre em busca de aprender cada vez mais, a diretoria da FME decidiu se adequar no melhor para as alunas. Nas aulas são passadas orientações de defesa pessoal com técnicas que as mulheres, vítimas ou não de violência doméstica e sexual, podem usar em sua defesa”, destacou Pinudo.

O presidente da FME, Raphael Thuin, destaca que o projeto foi implantado em março de 2018, em parceria com a Superintendência de Justiça e Assistência Judiciária, e que a demanda vem crescendo a cada mês.

— Além das técnicas, as mulheres também passam a fazer uma atividade física, o que é muito saudável para melhorar a qualidade de vida, além de formar grupos de amigos — ressaltou Thuin.

Por: Jô Siqueira – Foto: Rodrigo Silveira/Arquivo

NENHUM COMENTÁRIO