Trocando seis por meia dúzia, tirando coelho da cartola e empurrando atraso com a barriga

0

Após ter usado à exaustão durante a campanha eleitoral o refrão “dinheiro tem, falta gestão”, o prefeito Wladimir Garotinho se afoga em suas promessas não cumpridas, como implementar imediatamente um calendário de pagamentos do servidor municipal de Campos e garantir que todos os salários da sua gestão seriam pagos dentro do mês de vigência.

Servidores de Campos querem saber: “Cadê o dinheiro que estava aqui?”

Evidenciando o seu DNA, o “genial” prefeito Wladimir Garotinho, após tirar um “coelho da cartola”, trocando seis por meia dúzia, ao pagar dezembro no final de janeiro, “empurrar com a barriga” o restante do 13º, e o pagamento de janeiro para após uma reunião marcada para a última quarta-feira, já no mês de fevereiro e, posteriormente, cancelada por ele mesmo, que prometeu manter diálogo permanente com os servidores como estratégia para dissolver uma das manifestações dos funcionários na porta da prefeitura de Campos, mas continua sem dar aos servidores uma explicação consistente de onde vai tirar a verba (que ele antes dizia existir) para os devidos pagamentos de salários, e de quando eles serão colocados em dia, uma das promessas que utilizou amplamente como trampolim eleitoral.

Distribuição de tetas…

Mas nada disso impediu que na última quinzena o prefeito Wladimir Garotinho nomeasse centenas de pessoas em cargos de confiança. Alguns desses cargos gerando forte desconfiança pela nomenclatura, como “Gerente de Próprios” ou “Gerente de Poda” (retificadas depois de uma forte onda de repúdio nas redes sociais), com duvidosas funções, altos salários e por muitos serem ex-ocupantes de cargos de confiança na gestão da ex-prefeita Rosinha Garotinho, mãe de Wladimir Garotinho.

 

Bola de neve e mordida previdenciária

Sem poder continuar a utilizar a esfarrapada desculpa de estar pagando pelo governo anterior, já que garantia que “dinheiro tinha, faltava gestão”, agora luta contra as ondas de protestos para não se afogar em seu próprio mar de promessas sem fundos, antes que a grave questão salarial dos servidores vire uma insolúvel bola de neve.

Como o que está ruim sempre pode piorar, o salário de fevereiro dos servidores, sem previsão de pagamento, vai levar uma boa “mordida” com o aumento da alíquota previdenciária de 14% aprovada na Câmara, como fruto de um projeto de Wladimir.

Se antes faltava gestão, o que falta agora?

Wladimir anuncia pagamento da Educação, mas com verbas específicas do Fundeb

Sem ter como explicar os salários atrasados dos servidores municipais da Educação, que deveriam ter sido pagos com as verbas “carimbadas (específicas) do Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica) repassadas pelo governo federal, num total de R$ 28 milhões, sob o risco de sofrer as penalidades previstas em lei, como multa, rejeição de contas e Improbidade Administrativa, na sexta-feira, o prefeito Wladimir Garotinho anunciou o pagamento integral do mês de janeiro e um terço de férias na próxima terça-feira.

Fundeb, o que é?

O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) é um Fundo especial, de natureza contábil e de âmbito estadual (um total de vinte e sete Fundos), composto por recursos provenientes de impostos e das transferências dos Estados, Distrito Federal e Municípios vinculados à educação, conforme disposto nos arts. 212 e 212-A da Constituição Federal.

O Fundeb foi instituído como instrumento permanente de financiamento da educação pública por meio da Emenda Constitucional n° 108, de 27 de agosto de 2020, e encontra-se regulamentado pela Lei nº 14.113, de 25 de dezembro de 2020.

Independentemente da fonte de origem dos valores que compõem o Fundo, todo o recurso gerado é redistribuído para aplicação exclusiva na manutenção e no desenvolvimento da educação básica pública, bem como na valorização dos profissionais da educação, incluída sua condigna remuneração.

Legislação

O Fundeb atual e vigente foi instituído pela Emenda Constitucional n° 108, de 27 de agosto de 2020, e regulamentado pela Lei nº 14.113, de 25 de dezembro de 2020.

NENHUM COMENTÁRIO