Trabalhadores já foram retirados do Navio-plataforma do tipo FPSO

0

De propriedade da Modec, o FPSO Cidade do Rio de Janeiro encontra-se fora de operação desde o ano passado e em processo de saída da locação do campo de Espadarte, a 130 quilômetros da costa.

O Cidade do Rio de Janeiro é um navio-plataforma do tipo FPSO (sistema flutuante de produção, armazenamento e transferência de  óleo) com 320 metros de comprimento, 54 metros de boca e 30 metros de altura, o que corresponde a um edifício de 10 andares, e capacidade de produzir, diariamente, até 100 mil barris de petróleo e 2,5 milhões de metros cúbicos de gás, e pode estocar 1,6 milhão de barris de petróleo.  Ele foi construído em 1986, com Porto de registro em NASSAU.

Equipe vai tentar retirar navio do local antes que afunde e traga maiores danos ambientais

Uma equipe já está a caminho para desancorar a unidade FPSO Cidade do Rio de Janeiro operada pela Modec e afretada pela Petrobras.

Uma mancha com dimensões de 4.500 metros por 200 metros, com volume estimado de 3.000 litros de óleo, foi identificada nas proximidades do navio, resultante do furo no casco do navio. Nesta segunda-feira, a  Petrobras informou que houve vazamento de aproximadamente 1,2 metro cúbico de óleo residual.

Segundo o Sindicato e a grande mídia,  a informação é de que o navio FPSO Cidade do Rio de Janeiro, na Bacia de Campos, está adernando e corre o risco de afundamento. Cerca de 100 trabalhadores foram retirados da embarcação, que é operada pela empresa Modec, em regime de afretamento pela Petrobrás.

No último dia 23, às 13h30, foi identificado um rasgo no casco do navio, a cerca de um metro de profundidade, o que provocou o aumento do volume de água nos tanques. Um primeiro grupo de trabalhadores foi, então desembarcado. Hoje, com o aumento do rasgo, o restante foi evacuado.

O sindicato acompanha o caso junto à Petrobrás. A empresa afirma que a embarcação encontra-se em “equilíbrio estático” e que uma equipe especializada será mobilizada para fazer a desancoragem e rebocá-la para o estaleiro.

O FPSO Rio de Janeiro é um navio contratado pela Petrobrás e operado pela Modec do Brasil. A embarcação está com a produção interrompida desde julho de 2018 para processo de descomissionamento (desativação da unidade).

Com informações do Sindipetro NF

NENHUM COMENTÁRIO