Suposto comprador de votos é ex-DAS de Rosinha e assessor de Bruno, chefiado na Alerj por Wladimir

0
Bruno Dauaire, Paulo Henrique Barreto Barbosa (PH) e Wladimir Garotinho cultivam fortes e antigos laços eleitorais e de cargos (foto/montagem/Somos)

A Ação de Investigação Judicial Eleitoral no TER/RJ proposta pelo Diretório Estadual do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade/RJ) e a Coligação Mudar é Possível (PSOL-PCB) pedindo a cassação do deputado federal diplomado Wladimir Barros Assed Matheus de Oliveira (PRP) (vulgo Wladimir Garotinho) e a do seu correligionário deputado estadual reeleito e diplomado Bruno Dauaire por Abuso do Poder Econômico e Captação Ilícita de Sufrágio tem levado a revelações surpreendentes.

Cinquentinha II, a reprise

Um dos réus nessa Ação, o cabo eleitoral de Wladimir e Bruno, Paulo Henrique Barreto Barbosa, vulgo PH, juntamente com outras pessoas, teria supostamente realizado a compra de votos para a dupla, pagando a emblemática quantia de 50 reais a eleitores na Penha. A denúncia traz farto material fotográfico e de vídeo que comprovariam a prática.

DAS de Rosinha e assessor de Bruno Dauaire chefiado na Alerj por Wladimir Garotinho

O detalhe é que o cabo eleitoral “PH”, Paulo Henrique Barreto Barbosa, foi nomeado em 25 de junho de 2013 e atuou como DAS 7 no governo de Rosinha Garotinho, mãe de Wladimir e, posteriormente, foi nomeado, em 12 de abril de 1017, como assessor parlamentar no gabinete do deputado Bruno Dauaire, que foi chefiado por Wladimir Garotinho. Veja abaixo:

Suposto comprador de votos para Wladimir e Bruno foi condenado na “Chequinho”

Além disso, “PH” foi candidato a vereador em 2016, não se elegendo, mas fazendo parte do grupo dos 34 investigados na “Operação Chequinho” que desbaratou o escandaloso esquema de compra de votos nas eleições de 2016, sendo condenado pelo Juiz Eleitoral Eron Simas dos Santos a 8 anos de inelegibilidade por envolvimento naquele esquema de compra de votos.

Laços

Com se vê, devidamente documentados pela equipe do Somos Online após pesquisa, existem fortes e antigos laços entre os acusados na Aije (Ação de Investigação Judicial Eleitoral) proposta pelo PSOL. Resta agora que a Corregedoria do TRE/RJ apure esses fatos.

Outros envolvidos

Além disso, o Somos Online apurou que outros notórios militantes da Facção Rosa, um ex-vereador e um ex-secretário, homem forte do governo Rosinha, também teriam atuado no esquema da Penha, e estamos apurando o seu envolvimento e recolhendo provas fotográficas da ação desenvolvida no entorno da zona eleitoral da Penha.

Esclarecimentos

Novamente o Somos Online põe o seu espaço a disposição dos envolvidos citados na reportagem para que dêem as suas explicações, caso as tenham e queiram fazê-las.

NENHUM COMENTÁRIO