Rosinha da goleada de inelegibilidade em Garotinho: 6X2

0

Rosinha inelegível seis vezes e Garotinho três

Sempre disparando fanfarronices e criando factóides, após dizer que Rosinha poderia se candidatar a prefeita de Campos, há pouco tempo Garotinho lançou mais um factóide declarando que ele mesmo poderia ser candidato a prefeito do município, lançando dúvidas no eleitorado campista e criando falsas expectativas nos militantes da Facção Rosa, que passaram a crer piamente que seus líderes não estariam inelegíveis.

A realidade é outra

Mas a realidade é bem diferente. O que Garotinho faz questão de não deixar claro, para não desestimular a militância, é que possui condenações criminais e cíveis, e, apesar de, no momento, não iminente o seu retorno à cadeia, por não estar vigorando a o cumprimento de pena após condenação em segunda instância, ele e Rosinha estão inelegíveis por conta da Lei da Ficha Limpa, regulamentada pela LC 64/90, considerando inelegíveis pelo prazo de oito anos os que forem condenados por improbidade administrativa dolosa, por decisão colegiada.

Garotinho no Cadastro Nacional da Inelegibilidade

Garotinho tem três condenações por órgãos colegiados, e, em duas delas, está inelegível.

A sua sentença por formação de quadrilha foi anulada por prescrição de pena, mas as outras duas estão valendo.

Em uma delas houve condenação por desvio de R$ 234 milhões da Saúde durante o governo de Rosinha à frente do Palácio Guanabara, colocando nome de Garotinho no Cadastro Nacional de Condenações Cíveis por Ato de Improbidade Administrativa e Inelegibilidade do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Em outra, o TRF-2 confirmou a condenação de Garotinho a dois anos e oito meses de prisão, convertidos em serviços à comunidade, por calúnia contra um juiz federal.

Rosinha foi condenada à inelegibilidade seis vezes em dois anos

No quesito inelegibilidade, Rosinha ganha Garotinho de goleada, com seis condenações, quatro já julgadas em segunda instância, entre elas, o notório caso dos postes pintados de rosa, igrejas iluminadas de rosa, e a fixação de quadros com a sua foto em postos de saúde.

A ex-prefeita também amarga condenação por pelo uso indevido de meios de comunicação, por utilizar a publicidade institucional da Prefeitura com finalidade eleitoral.

Em outra Ação, ela foi condenada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por abuso de poder político por contratar 1.166 professores temporários antes das eleições.

Com informações / Aldir Sales / Folha da Manhã

NENHUM COMENTÁRIO