Querendo crédito por votos que não pediram e apoio que não deram

0

Concluídas as eleições, nota-se o célere avanço do oportunismo de tocaia, aquele que só acontece após o alvo ser eleito para cargos elevados como o de governador do estado. Certamente não teríamos a política de rodapé que temos hoje se não fossem os oportunistas que se escondem por detrás dela.

Votos que não pediram e apoio que não deram

Sem conseguir viabilizar a sua candidatura por ser condenado Ficha Suja e enfrentando sérios problemas judiciais que podem levá-lo de volta à cadeia, Garotinho, o filho Wladimir (eleito deputado federal) e Bruno Dauaire (eleito deputado estadual) têm colocado em prática despudoradas tentativas de aproximação com o governador eleito Wilson Witzel, tentando creditar, na maior desfaçatez, a seu grupo votos que não pediram de um apoio que não deram, deixando de lado qualquer resquício da rósea ideologia populista/messiânica, criada apenas para arrebanhar seguidores. O que vem trazendo forte decepção aos militantes e eleitores que acreditaram em suas promessas de campanha.

Apoio fatal a Romário

No dia 5 de outubro, Garotinho divulgou em seu blog um vídeo onde ele e Rosinha declaravam apoio a Romário e, emblematicamente, retiravam do peito os adesivos da sua campanha (44) e os substituíam por adesivos da campanha de Romário (19), incitando que todos os rosáceos fizessem o mesmo e passassem a apoiar o senador, afirmando que ele colocaria em prática os projetos de governo da sua frustrada campanha eleitoral. Com Garotinho liderando com folga a rejeição, o gesto do casal no vídeo foi considerado a pá de cal na campanha de Romário ao governo do estado.

Algumas das opiniões de Romário sobre Garotinho:

“Tem uma experiência e preparo que eu não quero ter. É só levantar a ficha dele. Olha o estado que o Rio de Janeiro se encontra, ele foi um dos responsáveis por isso”.

“Garotinho eu posso passar em revista as tropas, já você preferiu ser escoltado. Fica tranquilo que mandarei uma quentinha para você na cadeia.”

Mas nada disso impediu o indesejado apoio de oportunidade. Confira no vídeo abaixo:

“Garotinho joga a toalha, Rosinha engole os sapos e declaram apoio a Romário”.

Assista ao vídeo:

Duelo no SBT

Garotinho dá fortes pistas de tentar se aproxima de Witzel, apesar de no dia 19 de setembro, durante o debate no SBT, ter trocado duras palavras com o governador eleito Witzel, que o fustigou duramente, questionando-o sobre seus “antecedentes criminais” em referência à condenação judicial que motivou a impugnação de sua candidatura, ouvindo a exagerada resposta de Garotinho: “Ainda bem que o Dr. Witzel se aposentou como juiz. Ele não conhece a lei. Dizer que estou inelegível quando acabou de ser dado pelo Tribunal Superior Eleitoral uma liminar me concedendo a suspensão de todos os processos.”

Nota da redação:

A condenação citada pelo então candidato do PSC diz respeito à ação penal na qual Garotinho é réu por desvios de R$ 234 milhões da Secretaria de Estado de Saúde entre os anos de 2005 e 2006, quando sua mulher, Rosinha Garotinho, era a governadora. O TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) entendeu que houve ato de improbidade administrativa com lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito de terceiros.

Como nuvem

Mas nada disso tem mais importância. A eleição do rival parece ter tido um forte efeito amnésico em Garotinho. Ontem, domingo (4/11), além das já cansativas lamentações pela perda da sua candidatura, ele teceu loas em seu blog ao governador eleito, mostrando um alto grau de oportunismo, com direito a trocadilho no título:

“Na eleição, o povo é o juiz”

“… O grupo estava certo que sem o Garotinho na disputa a vitória de Eduardo Paes era garantia de proteção e de impunidade. Faltou combinar com o povo… Ganhou o Juiz!…”

Fazendo escola I

O filho Wladimir, seguindo de perto os passos do pai Garotinho no quesito oportunismo, apesar de nunca ter postado nada sobre Witzel, bastou que o juiz fosse eleito para que ele imediatamente festejasse em seu perfil do Facebook a eleição do novo governador Wilson Witzel. Veja abaixo.

Fazendo escola II

Também bastou que Witzel se elegesse para que o deputado Bruno Dauaire, reeleito com o apoio rosáceo, efusivamente comemorasse nas redes sociais publicando uma foto sua abraçado com Witzel, dizendo:

“Deu Wilson! Obrigado a todos!!! Vitória!!!”

Papai Noel da Páscoa

Fonte segura garante que o futuro governador tem sido bastante assediado por um deputado estadual, acreditando em sua falta de experiência política, com insistentes tentativas de emplacar a sua líder Rosinha, atualmente desempregada do poder público, em um cargo social no futuro governo Witzel. Entre os argumentos, o de que ela teria livre circulação nos morros e que o apoio rosáceo teria sido determinante para a colheita de votos do juiz na região. É mais ou menos como acreditar em Papai Noel e Coelhinho da Páscoa…

Para refletir

“O oportunismo político de ocasião pode até ser legal, mas é completamente imoral”…

NENHUM COMENTÁRIO