Processo das “Casinhas de Rosinha” começa a tramitar em 2ª Instância

0
Mais um capítulo da novela “Morar Feliz” protagonizada por Rosinha e Garotinho, acusados de superfaturamento e recebimento de propina nas obras do projeto “Morar Feliz”

A expectativa não é das melhores para Garotinho e Rosinha

Entra em cena mais um capítulo da novela “Morar Feliz” protagonizada por Rosinha e Garotinho, acusados de superfaturamento e recebimento de propina nas obras do projeto “Morar Feliz”, da Prefeitura Municipal de Campos, que teria sido direcionado a Odebrecht para recebimento de vantagens indevidas.

Fim do empurra-empurra

Novo relator desembargador Celso Ferreira Filho

Depois do jogo de empurra-empurra, com três relatores se dando por suspeitos para o julgamento em segunda instância, o processo recomeçou a tramitar na 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), após o sorteio do nome do desembargador Celso Ferreira Filho.

Entre as primeiras providências, foi enviado um pedido de informações a 2ª Vara Criminal de Campos, e também existe um pedido de informação sobre o habeas corpus concedido pelo desembargador Siro Darlan, que libertou Garotinho e Rosinha apenas 24h após a prisão, durante o seu plantão judiciário em 04 de setembro.

Desfecho

Tudo indica que no desfecho dessa novela muita gente pode morar infeliz em um buraco escuro e pouco ventilado, bem pior do que as mal enjambradas “Casinhas de Rosinha”…

Relembre para entender melhor

(Somos Assim em 25/02/2010)

Em 25/02/2010 a Revista Somos Assim avisava que a construção das 5,1 mil casas prometidas em campanha por Rosinha Garotinho sempre esteve envolta em uma nuvem de problemas e graves questionamentos. E relembrava: “Em agosto de 2009 a Somos, baseada em um estudo realizado por mestrando da Uenf, já alertava sobre os problemas ambientais e sócio-econômicos que as construções trariam. Seguiu-se a isso uma pouco recomendada licitação no estrondoso valor de R$ 357,9 milhões (sem falar no tradicional adicional de 25%). Mas, antes mesmo da abertura dos envelopes, a coluna Ponto Final, da Folha da Manhã, alertou, no dia 29 de maio, que a grande vencedora seria a Odebrecht”.

Apesar do escândalo que a antecipação e o acerto do resultado geraram, a licitação não foi impugnada. Ao contrário, rapidamente as casas começaram a ser construídas.

A divulgação desses fatos pela Somos fez muita gente ficar indignada com a grande preocupação do Governo Rosinha Garotinho com o marketing de oferecer 5.100 casas populares, mas sem nenhum critério de construção segura.

Mais denúncias na Somos

“Apesar de toda a polêmica que a construção das casas populares já gerou, um grande risco que pode colocar em risco a vida dos futuros moradores que irão habitar essas casas ainda estava para ser revelado. As casas estão sendo erguidas sem nenhuma coluna de concreto. Ou seja, tão somente tijolo, uma camada de cimento no chão, uma fina laje e um telhado, sem nenhuma coluna de concreto para dar sustentação e segurança à construção. Considerando que estas casas estão sendo feitas em áreas ambientalmente sensíveis e inundáveis, a vida de todos os futuros habitantes poderá correr forte risco”. “Por mais explicações que a prefeitura e a construtora possam dar para justificar a construção de casas sem a segurança básica de colunas de concreto, fica difícil explicar como podem ser gastos incríveis 357 milhões de reais nesse tipo de obra, onde se economiza com itens que, qualquer simples pedreiro sabe, protegeriam a vida de milhares de campistas dentro dos seus futuros lares”.

Confira as delações da Odebrecht

Leandro Azevedo Superintendente da Odebrecht no Rio de Janeiro

…”Havia tido uma reunião com o ex-governador Anthony Garotinho e nessa reunião o ex-governador havia pedido uma contribuição eleitoral para a candidatura de Rosinha Garotinho que seria candidata a prefeita de Campos. O Benedicto Júnior, então, fechou acordou com ele o valor da doação que a Odebrecht ia fazer. Eu me lembro que era mais ou menos em torno de R$ 5 milhões, que esse valor seria pago através de caixa dois. Dinheiro não contabilizado…”

…”Em 2014, ele foi candidato a governador e eu já era diretor-superintendente. O Benedicto Júnior me chamou mais uma vez para uma conversa…”

… “O Benedicto Júnior aceitou a combinação de valores de campanha. Foi em torno de R$ 10 milhões para a campanha de governador…”.

… “Um dos primeiros editais que ela homologou logo depois da eleição foi um edital para a construção de 5.100 casas populares. No valor mais ou menos de R$ 357 milhões. Isso chamou minha atenção porque casas populares geralmente você vê no mercado sendo construídas em vários lotes e aqui foi feito em lote único e a esse valor. Isso fazia com que as empresas pequenas não tivessem condições de participar”…

…“Em 2012, a prefeita Rosinha foi reeleita e ela lançou um segundo programa chamado ‘Morar feliz 2’. Foi uma nova licitação. Nessa licitação nós participamos sozinhos, sem ninguém. Se a Odebrecht não tivesse participado, ia dar vazio. Eu fiz o ‘Morar feliz 1’. A gente tinha uma equipe mobilizada, tinha uma expertise em construir casas. Então, ela lançando um projeto desses, é óbvio que eu ia participar do ‘Morar feliz 2’. O valor foi um pouco maior, foi R$ 476 milhões”…

Benedicto Júnior, ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura

…”No período que eu fui diretor superintendente da Odebrecht no Rio de Janeiro eu construí uma relação pessoal com o governador Anthony Garotinho que eu mantive nos últimos quatro anos, o que permitia que ele tivesse acesso a mim direto, o que permitia durante os períodos eleitorais fazer pedidos de doação para seu grupo político. Grupo político que ele se identifica através da própria Rosinha e dos candidatos federais que ele apóia”…

… “Então, especificamente no ano de 2008, o governador me procurou, fui a reunião pedida por ele no escritório dele na Conde Lages, aonde ele me fez um pedido e a gente fez uma doação para a campanha da dona Rosinha de R$1 milhão, que foi feito de forma via caixa dois no Sistema de Operações Estruturadas da Odebrecht e pagos diretamente as pessoas indicadas pelo Dr. Garotinho”…

“Houve outros pagamentos. Ainda no âmbito de campanha principal, na campanha de 2012. Ele fez um pedido, nós fizemos uma doação nova de recursos de caixa dois de forma ilícita de 2,3 milhões de reais para campanha de releição da dona Rosinha Garotinho. Em 2010, para sua campanha de deputado federal de R$ 1,2 milhões também de Caixa Dois vindo do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht. E na sua última campanha, que foi a campanha dele para governador em 2014, nós fizemos uma doação de 7,5 milhões para a campanha dele via Caixa Dois”…

Somos Online em 12 de abril de 2017:

“Segundo as delações premiadas dos ex-executivos da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Júnior e Leandro de Andrade Azevedo, Garotinho recebeu dinheiro de caixa dois da empresa para a sua campanha de governador em 2014.

Leandro Azevedo ainda afirma que Garotinho e Rosinha receberam R$ 9,5 milhões em três eleições e que cultivava uma relação bem próxima a Garotinho que, assim, negociava sem burocracia: “Presenciei, algumas vezes, Garotinho telefonando para os secretários da Fazenda do Município durante a gestão de Rosinha em Campos (…) e pedindo que tivéssemos preferência na regularização dos pagamentos em atraso”.

“Os delatores ainda disseram que Rosinha recebeu recursos de caixa dois para as campanhas à Prefeitura de Campos dos Goytacazes (RJ) em 2008 e 2012.”.Morar Feliz

NENHUM COMENTÁRIO