Prefeito, MP e forças de segurança reafirmam importância do isolamento social

0

“Erramos: um mês após a campanha para não parar, Milão tem 4,4 mil mortos”. (Giuseppe Sala, prefeito de Milão)

De olho nessa dolorosa lição da Itália, não tem carreata que ajude. Nessa sexta-feira, mostrando que não estão para brincadeiras, o prefeito Rafael Diniz, o promotor Marcelo Lessa e o delegado Pedro Emílio deixaram bem claro que aglomerações como a carreata de hoje estão proibidas, e o estabelecimento que desobedecer às determinações da prefeitura e teimar em abrir as portas será fechado. À força, se for necessário, e quem abrir poderá ser preso…

“Este é um movimento conjunto das autoridades”

O prefeito Rafael Diniz; os promotores de Justiça Marcelo Lessa e Fabiano Rangel; o delegado da 146/Guarus, Pedro Emílio Braga e o coordenador da seccional em Campos do CREMERJ – Conselho regional de Medicina do Estado do Rio, Dr. Rogério Bicalho, concederam entrevista coletiva, no início da tarde desta sexta-feira (27), para ressaltar a importância da continuidade das medidas de isolamento social para evitar, no município, a propagação do novo Coronavírus. Segundo dados da Vigilância em Saúde, Campos tem um caso confirmado da covid-19 e outros 13 suspeitos.

“O momento é de união, de preservação de vidas”

– Este é um movimento conjunto das autoridades que entendem que o momento é de união, de preservação de vidas. Os decretos continuam em vigência até o dia 5 de abril que foi o prazo estabelecido por autoridades de saúde para controlar a situação. A situação econômica preocupa a todos, mas precisamos preservar vidas – frisou Rafael Diniz.

“O que querem, contar corpos?

O promotor Marcelo Lessa se mostrou perplexo diante da manifestação realizada na manhã desta sexta com a aglomeração de pessoas. “O que querem, contar corpos? As medidas de isolamento social são justamente para evitar que o vírus se espalhe entre as pessoas. Campos tem, até o momento, apenas um caso confirmado da doença e esse é o objetivo das medidas adotadas, controlar, frear essa situação que o mundo vem enfrentando”, ressaltou o promotor.

Delegado Pedro Emílio Braga

“Aglomerações como ocorreu hoje estão proibidas”

O delegado Pedro Emílio Braga frisou que há decretos em vigência e aqueles que forem flagrados descumprindo as determinações podem ser autuados por descumprimento de medidas sanitárias preventivas.

– Aglomerações como ocorreu hoje estão proibidas conforme decretos municipal, estadual e federal. Condutas que descumprem configuram crime. Já aqueles que incitam podem responder por apologia ao crime. Vamos adotar medidas caso haja descumprimento da ordem – destacou.

“Este é o momento de evitar a propagação do vírus”

Representante do Cremerj, o médico Rogério Bicalho disse que os médicos estão na ponta e prontos para atuarem, mas é preciso a colaboração de todos. “Este é o momento de evitar a propagação do vírus. Se o quadro desenhado se confirmar para o Brasil, senão houver um freio, o sistema de saúde não vai suportar. Vai entrar em colapso. O município tem apenas um caso confirmado e treze suspeitos. A cidade está por enquanto blindada em comparação as capitais. Fique em casa”, alertou o médico.

NENHUM COMENTÁRIO