Operação da Polícia Federal acordou Witzel no palácio e Garotinho no Flamengo

0

A Operação Placebo, da Polícia Federal, que acordou o governador Wilson Witzel no Palácio das Laranjeiras, também acordou Garotinho em seu apartamento do Flamengo.

Após uma boa temporada completamente mudo diante das graves denúncias de fraudes no combate à pandemia no governo do seu aliado Wilson Witzel, o ex-governador Garotinho, do alto da sua enorme experiência nesses assuntos policiais, já tendo sido preso cinco vezes, ao ver se acender a luz vermelha, resolveu manifestar-se atacando o, agora eleito por ele como ex-aliado, para tentar evitar que a “casa que caiu” também caia sobre o seu próprio pé:

“Dinheiro na conta da esposa de Wilson Witzel e Lucas Tristão. Não é possível falar em perseguição da PF no caso. Como podem ver a decisão de busca foi autorizada pelo ministro do STJ Benedito Gonçalves.
A decisão contem 5 páginas,está repleta de provas, e a polícia apenas cumpriu uma decisão judicial.
A denúncia é gravíssima e a materialidade enorme.”. (Garotinho em seu perfil do Facebook)

Nada de se estranhar na previsível reação de Garotinho, afinal de contas, como rege a sapiência do povo da baixada campista: “cachorro mordido de cobra tem medo até de linguiça”…

Publicado no Somos Online em 8 de Maio de 2020

Garotinho denunciava Cabral, mas cala-se com escândalos no governo Witzel

O nome do silêncio?

Será que Garotinho anda tomando tantos remédios que perdeu o faro jornalístico? Ou será que o silêncio tem nome: pastor Everaldo.

Pastor Everaldo e Witzel

 Amigo de Garotinho, foi o pastor Everaldo que indicou a turma da saúde que está dando uma dor de cabeça tremenda ao governador Witzel. Já teve sub-secretário preso, superfaturamento de hospital, respiradores, equipamentos de proteção etc…, entre outros absurdos durante essa pandemia.

O Pastor Everaldo teve a sua carreira impulsionada exatamente por Garotinho. Seu primeiro cargo público veio com a eleição de Garotinho ao governo do RJ, quando foi agraciado com uma nomeação para subchefe da Casa Civil, sendo responsável por ajudar a implementar o primeiro bolsa família do Brasil, o “cheque cidadão”. Depois disso, incentivado por Garotinho, filiou-se ao PSC. Por essa legenda se candidatou e ficou como segundo suplente do senador Jorge Picciani.

Wladimir e os “conselhos”

Bom lembrar que, em março, o deputado Wladimir Garotinho explicou como funciona a relação da sua família com o governo estadual: “nós pedem ajuda a gente oferece”, disse Wladimir. O mesmo Wladimir que posou como padrinho do hospital de campanha superfaturado de Campos.

Se arrependimento matasse…

Nos bastidores, aliados próximos a Witzel não escondem o arrependimento por ter ele ouvido alguns “conselhos” da família Garotinho. “Se Garotinho não teve pena nem da mulher, que foi parar na cadeia, imagine da gente”, resmungou um aliado, já ciente de que outros “conselhos” ainda irão explodir.

NENHUM COMENTÁRIO