MPE quer inelegibilidade de Wladimir por abuso de poder econômico e fake news

0

Nessa sexta-feira, o Ministério Público Eleitoral desfechou a “Operação Propaganda Limpa” que cumpriu pedidos e mandados de busca e apreensão contra 11 pessoas ligadas a Wladimir Garotinho suspeitas de atuarem no esquema de propagação de notícias falsas (Fake News) para atingir a imagem do seu opositor Caio Viana utilizando sites de fachada e perfis no Facebook.

MPE pede inelegibilidade de Wladimir Garotinho por abuso de poder econômico e Fake News

O MPE ajuizou uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) contra a chapa Wladimir Garotinho/Frederico Paes (PSD)  por abuso de poder econômico e compartilhamento de fake news, por Wladimir Garotinho ter utilizado recursos de campanha para fazer impulsionamento ilícito em sua página pessoal do Facebook, atingindo aproximadamente 100.000 seguidores.

A denúncia aponta: “As publicações da chapa do PSD tiveram o objetivo de atingir a imagem do seu concorrente de 2º turno, o candidato Caio Viana, através da divulgação de informações falsas que vinculavam o atual Prefeito Rafael Diniz ao candidato Caio Vianna, dizendo que os dois estariam fazendo ameaças aos funcionários, numa clara tentativa de enganar os eleitores, levando-os a crer que os dois estariam juntos nesse 2º turno das eleições municipais e que, assim, o candidato Caio Viana representaria uma continuidade à administração do atual prefeito, bem como de todos os problemas salariais que foram noticiados na imprensa nos últimos meses e anos… Foram, nada mais  nada menos, que 50 impulsionamentos feitos por ele mesmo, números esses que, por si só, já são suficientes para afetar a lisura do processo democrático.”

Na 134ª DP

A investigação cita os sites: “Click Campos”, “Muda Campos” e “Notícias Campos”, além de perfis nas redes sociais que estariam promovendo notícias falsas durante a campanha eleitoral de Campos. Integrantes do “Muda Campos” e “Notícias Campos” foram conduzidos para 134ª DP do Centro, onde assinaram um termo e foram liberadas na sequência. Também foram apreendidos materiais eletrônicos como celulares e computadores.

“Jornais” de fachada

Segundo o MPE: “Após muitas checagens, foi observado que pelo menos dois ‘jornais’ são de fachada “Muda Campos”, “Click Campos” e “Notícias Campos”, sem existência no mundo real, sem CNPJ, sem personalidade jurídica, sem capacidade jurídica, ambas publicando informações a partir de falsidade ideológica.”

Facebook colabora com a investigação

“A investigação precisou da ajuda do Facebook Inc, nos Estados Unidos, somente assim descoberto que alguns dos ‘perfis pessoais’ (apoiadores do candidato) eram os mesmos que se ocultavam por trás dos ‘jornais’, fazendo publicar notícias favoráveis ao mesmo candidato investigado e desfavoráveis ao oponente, inclusive com ‘fake news’, compartilhadas, difundidas e/ou curtidas por dezenas de outros apoiadores”.

Foram pedidos mandados de busca e apreensão contra 11 pessoas suspeitas de atuar no esquema de propagação de notícias falsas.

Burlando decisão judicial

O Ministério Público declarou que a candidatura de Caio impetrou uma ação na Justiça Eleitoral que obrigou Wladimir a retirar a publicação que o ligava a Rafael Diniz do ar. Mas, “em total desrespeito à decisão liminar proferida pelo Juízo da 75ª Zona Eleitoral, o grupo político do 1º Representado (Wladimir) transformou o texto publicado anteriormente no perfil do mesmo em arquivo de imagem e continuou circulando via postagens, compartilhamentos e impulsionamentos as referidas notícias falsas, sendo certo que as mesmas serviram, ainda, para publicações na forma de ‘notícias de imprensa’, ferindo a lisura do processo democrático de escolha, desobedecendo a Lei e as determinações do Juiz de Direito responsável pela fiscalização da propaganda”.

Repetidores das fake news de Wladimir

Na denúncia, o MPE aponta que os sites divulgavam as mesmas notícias falsas com os mesmos acentos, vírgulas e informações repassadas por Wladimir Garotinho, atuando como uma rede especializada em divulgar as Fake News originadas na página do candidato.

Wladimir espalha fake news há tempos

A prática de Wladimir espalhar fake news é antiga e já foi denunciada pelo Somos em 08 de junho de 2018.

Somos em 2018: “As descaradas fake news fora amplamente divulgadas em páginas e blogs da Facção Rosa, inclusive, e principalmente, em um dos perfis de Facebook de Wladimir, filho de Rosinha e Garotinho, jovem de imedidas ambições eleitoreiras e já pré candidato.”

Confira no link abaixo:

https://somosassim.com.br/portal/wladimir-dispara-fake-news-para-tentar-manipular-a-populacao-de-campos/

Nota de Wladimir Garotinho

A coligação “Um Governo de Verdade” refuta a tentativa de vincular o candidato Wladimir Garotinho com campanhas de Fakes News. Verifica-se em Campos uma tentativa de criminalizar o debate eleitoral, bem como a livre manifestação de internautas na rede social.
Wladimir Garotinho recebeu mais de 106 mil votos no primeiro turno e lidera as pesquisas de intenção de votos no 2º turno. Portanto, todos os seus eleitores e admiradores são livres para expressar suas opiniões, bem como compartilhar conteúdos em suas respectivas plataformas virtuais. Foi compartilhamento de um post que afirma que Rafael apoia o Candidato Caio, dito pelo Vereador José Carlos que foi considerado fake news.
O Brasil vive sob uma democracia, amparada pela Constituição Federal, que assegura o direito de livre manifestação do pensamento e veda a censura.
O que o adversário postula com essas medidas, pouco antes de um debate que será transmitido pela TV, é criar agendas negativas para desequilibrar o pleito, só que a vontade popular é soberana e mais uma vez triunfará nas urnas.

NENHUM COMENTÁRIO