Medidas necessárias, sem planejamento e com péssimo exemplo

0

Um decreto sem planejamento do novo prefeito de Campos Wladimir Garotinho fecha o comércio a partir dessa terça-feira, como uma das medidas para conter o avanço da pandemia de Covid-19 no município.

Durante a campanha eleitoral, Wladimir pregou a instalação de um “governo de verdade” prometendo, entre outras coisas não cumpridas, que não fecharia o comércio para não prejudicar a economia campista, criticando duramente o governo Rafael Diniz que havia tomado essa indispensável providência.

Alertado, negou que faria…

Até mesmo um anunciado secretário de Saúde para compor o seu governo recusou o cargo, segundo fontes internas, por ter alertado o novo prefeito sobre a necessidade urgente de tomar medidas duras para conter a propagação da Covid-19, o que teria sido negado por Wladimir Garotinho.

SuplementoDiarioOficialEletronicoEdicao-764

CDL mostra insatisfação com decreto

Por outro lado, após cortejar intensamente a Câmara de Dirigentes Lojistas de Campos (CDL) acenando com apoio ao comércio, agora, conseguiu desagradar aos sócios da entidade classista que reúne a maior parte do setor produtivo e empregador do município, que emitiu nota nessa segunda-feira externando a sua insatisfação com a medida:

“A Câmara de Dirigentes Lojistas de Campos – CDL- vem externar sua preocupação com a decisão da Prefeitura de Campos dos Goytacazes de a partir desta terça-feira (19/01) por um prazo de 07 dias, através de Decreto que determina o fechamento das atividades comerciais, preservando apenas os serviços definidos como essenciais.”

“Destacamos que o comércio foi exemplar na pandemia ainda em curso, observando todos os parâmetros de segurança determinados pelas autoridades sanitárias, estabelecendo um ambiente de segurança para o consumidor e funcionários, não sendo dessa forma um vetor do vírus da Covid-19.”

Um peso, duas medidas

Enquanto o subsecretário de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde, Charbell Kury declara em entrevista coletiva: “Nesse momento há três indicadores que mais afetam o município: a ocupação de leitos, as mortes e a qualidade da assistência. Esperamos reduzir em 40% a transmissão viral da Covid-29 nos próximos dias”, o prefeito Garotinho reúne-se com grupos políticos em eventos locais sem a utilização de qualquer medida protetiva, como fez participando de um “café”, no último dia 15, em plena festa de Santo Amaro, comemoração religiosa que foi realizada sob medidas restritivas para a população, mas que parecem não se aplicar ao inexperiente Garotinho, o novo chefe do executivo campista. Veja a foto abaixo.

Wladmir Garotinho aglomera sem máscaras mas decreta fechamento do comércio em Campos. Na foto, da esquerda pra direita, Durex (ex-assessor de Gil, atualmente com Dep Gustavo Schmith), Adriano Piedade (assessor de Igor Pereira), Digão (ex assessor de Gil), o prefeito de Campos Wladimir Garotinho, Gustavo Schmith (Dep estadual do PSL) que já foi parar na delegacia por festa durante a pandemia, Luciano Mulambo (do grupo de WhatsApp), Marcelo Teteco (assessor do Dep)
e Dudu Azevedo (empresário – amigo de Wladimir)

“Que os políticos também sofram as sanções do decreto de Wladimir”.

Na foto acima, o prefeito Wladimir Garotinho aglomerando com um grupo sem máscaras no dia 15, durante evento/café em St. Amaro. Um péssimo exemplo de quem decreta medidas para conter a pandemia com o sacrifício do comércio e exigência de máscaras e outras medidas protetivas em ambientes fechados.

Decreto indigesto também para restaurantes

Além dos percalços trazidos pelo decreto, sem diálogo ou aviso, para todo o comércio de Campos, o setor da gastronomia foi atingido em cheio.

A Liga Gastronômica de Campos, que reúne dezenas de restaurantes, grandes empregadores, após preparação e ampla divulgação do seu Festival de Verão, com início marcado para essa segunda-feira (18), viu a sua promoção, que anualmente alivia as dificuldades econômicas causadas pela evasão da clientela nesse período, ir por “decreto do prefeito abaixo”, com a determinação de funcionamento apenas através do sistema take away (com o cliente encomendando e indo buscar na porta) o que coloca em risco a sobrevivência de muitas empresas e milhares de postos de trabalho.

A queda da demanda vai causar enormes prejuízos ao setor, que se preparou e se endividou estocando produtos perecíveis para o seu Festival de Verão, o que dificultaria uma mudança de data sem custosas e irrecuperáveis perdas.

Mas, certamente, o jovem prefeito Wladimir Garotinho, muito bem assessorado, deve ter feito essa previsão detalhadamente e deverá liberar recursos para socorrer as empresas atingidas pelo seu, tão necessário, quanto muito bem planejado decreto. Afinal, muitas famílias campistas poderão perder seu ganha-pão de uma hora para a outra.

Prefeito em fuga

Para evitar danos a sua imagem, Wladimir Garotinho, que durante a campanha eleitoral fugia dos debates, agora, fugiu da coletiva que anunciou as duras medidas que seriam tomadas, as mesmas que ele tanto criticou quando tomadas por seu antecessor.

Segundo a sua assessoria, o prefeito Wladimir Garotinho não participou da coletiva, porque seguiu para o Rio, onde foi cumprir agenda com o governador do Estado, Cláudio Castro, para tratar da vacina da Covid-19.

Em tempo: a vacina será fornecida gratuitamente pelo Governo Federal, e o quinhão de Campos já está definido pelo Programa Nacional de Imunizações do SUS, sem ingerência do Governo do Estado.

Nota da CDL/Campos na íntegra

CDL: Nota sobre o fechamento do comércio em Campos dos Goytacazes

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Campos – CDL- vem externar sua preocupação com a decisão da Prefeitura de Campos dos Goytacazes de a partir desta terça-feira (19/01) por um prazo de 07 dias, através de Decreto que determina o fechamento das atividades comerciais, preservando apenas os serviços definidos como essenciais.

Destacamos que o comércio foi exemplar na pandemia ainda em curso, observando todos os parâmetros de segurança determinados pelas autoridades sanitárias, estabelecendo um ambiente de segurança para o consumidor e funcionários, não sendo dessa forma um vetor do vírus da Covid-19.

O relato feito às entidades representativas de classe pela Secretaria de Saúde do Município é realmente preocupante, porém, concluímos que é preciso observar a situação como um todo, exigindo de outros segmentos, a mesmo rigidez como faz com o comércio, procedimentos padrões de segurança que não são observados em um quadro geral.

Esperamos que a Prefeitura de Campos reveja o quanto antes pontos diversos deste decreto, permitindo a reabertura do comércio que como já colocamos não é, com certeza, via de contágio do vírus.

A Diretoria

NENHUM COMENTÁRIO