latifúndio de cargos dados a Wladimir e Bruno por Witzel pode implodir

0

O governador Wilson Witzel está sob uma saraivada de denúncias e enfrentando 10 pedidos de impeachment na Assembleia Legislativa (Alerj) após denúncias de corrupção em menos de dois anos de gestão à frente do governo do RJ.

Um eventual afastamento do governador deverá refletir seriamente sobre seus aliados campistas deputado federal Wladimir Garotinho (PSD) e deputado estadual Bruno Dauaire (PSC), que abrigam dezenas dos seus principais militantes em um milionário latifúndio de cargos no estado.

Estima-se que a folha de pagamento dos militantes dos deputados campistas no governo do estado chegue a 2,5 milhões de reais anuais, cerca de 200 mil reais mensais.

Apesar de fingir não ser muito ligado a Witzel, o filho de Garotinho chegou a fazer críticas ao governador para disfarçar, Wladimir mantém boa parte da sua turma se alimentando muito bem com nomeações no governo estadual.

As fotos da amizade foram amplamente divulgadas pela família Garotinho

E não é só o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD), o seu braço direito, o deputado estadual Bruno Dauaire controla um pacotão de cargos no governo Wilson Witzel.

Segundo fontes seguras do próprio governo do estado, os cargos do latifúndio em risco estão nos seguintes órgãos da administração estadual:

  1. a) Detran de São Pedro Aldeia e Cardoso Moreira
  2. b) Ciretran de Campos e São Fidélis
  3. c) Habilitação e Identidade do Detran Shopping Estrada
  4. d) Chefia de UPA em Campos e todos terceirizados da unidade do governo estadual
  5. e) Procon RJ – Uma unidade com vários cargos
  6. f) 3 Faetecs no interior do RJ, com cerca de 20 empregos (Mário Peixoto dava as cartas na Faetec)
  7. g) Algumas vagas no Seg Presente
  8. h) 10 vagas na Barreira Fiscal de Campos

Os nomes dos nomeados ficam em off, por enquanto

Marido de Clarissa nomeado

Além dos cargos citados acima, ainda existe a nomeação do cunhado de Wladimir, Marco Antônio Alvite Vasquez, marido da sua irmã a deputada federal Clarissa Garotinho, como Assessor-chefe, símbolo DG, na Secretaria de Estado de Turismo, com salário de cerca de 10 mil reais.

Militantes amparados na corda bamba

Como se vê, o grupo político de Wladimir Garotinho e seu braço direito Bruno Dauaire está muito bem amparado por nomeações no governo do estado, mas a situação é crítica, a concretizar-se o quadro já configurado, os dois deputados terão que arrumar outro jeito de manter os líderes da sua militância até as eleições.

Abraço de afogado

Quanto à oferta do governador Wilson Witzel para que Bruno Dauaire assuma a liderança do seu governo na Assembleia Legislativa, dificilmente ele aceitará, por maior que seja o seu comprometimento e a gratidão de Wladimir, o convite é um verdadeiro e fatal “abraço de afogado”…

NENHUM COMENTÁRIO