Justiça ordena que Porta dos Fundos e Netflix retirem do ar o “Especial de Natal”

0
Fábio Porchat, Porta dos Fundos e Netflix amargam “Suspensão benéfica para a sociedade brasileira, majoritariamente cristã”

“Portanto, eu vos digo: toda forma de pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens. E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro.” (Mateus 12.31-32)

 Castigo I

O desembargador Benedicto Abicair, da 6ª Câmara Cível/RJ, determinou que a produtora Porta dos Fundos e a Netflix retirem do ar o “Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo”, até que se julgue o mérito do Agravo. A decisão atende a um pedido da Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura. A sátira com um Jesus gay feriu a comunidade cristã e a sociedade brasileira.

“Suspensão benéfica para a sociedade brasileira, majoritariamente cristã”

O pedido de suspensão feito pela Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura havia sido negado em primeira instância pela juíza Adriana Sucena Monteiro Jara Moura. O centro recorreu da decisão, mas o desembargador de plantão confirmou o entedimento de Adriana e não concedeu a liminar para tirar o especial do Porta dos Fundos do ar.

Com o fim do recesso no Tribunal de Justiça do Rio, o processo foi distribuído para Abicair. Ao decidir pela suspensão do filme, o desembargador afirma que, nessa fase do processo, ainda não há como decidir se houve incitação ao ódio público por parte da produtora e “com quem está a razão”, mas para “acalmar os ânimos” da sociedade entende ser “mais adequado e benéfico” suspender a exibição.

“Por todo o exposto, se me aparenta, portanto, mais adequado e benéfico, não só para a comunidade cristã, mas para a sociedade brasileira, majoritariamente cristã, até que se julgue o mérito do Agravo, recorrer-se à cautela, para acalmar ânimos, pelo que concedo a liminar na forma requerida”, diz um trecho da decisão. A produtora disse ao GLOBO que ainda não foi oficialmente notificada sobre a suspensão. A Netflix informou que, por enquanto, não irá se manifestar sobre o caso. (Com informações de O Globo)

LEIA A DECISÃO NA ÍNTEGRA AQUI

Trecho do pedido

“Trata-se de ação coletiva, que tem como causa de pedir alegado vilipêndio à tutela da honra e da dignidade de católicos, em razão dos réus produzirem e exibirem o “Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo”, em que “Jesus é retratado como um homossexual pueril, Maria como uma adúltera desbocada e José como um idiota traído”…

Saiba mais AQUI

Castigo II

E não são só os cristãos brasileiros que estão cuspindo marimbondos com o blasfêmico curta “A Primeira Tentação de Cristo”, do Porta dos Fundos. Esta semana, o vice-premier da Polônia, Jaroslaw Gowin, usou as redes sociais para pedir à Netflix que remova o controverso especial de Natal e anexa uma petição online do seu país, que soma mais de 1,4 milhão de assinaturas. Vai doer no bolso…

NENHUM COMENTÁRIO