Isecensa faz campanha de livros para ajudar na ressocialização das detentas de Campos

0

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, os Institutos Superiores de Ensino do Censa (Isecensa) lançaram uma campanha para arrecadação de itens de higiene pessoal e livros para as detentas do Presídio Feminino Nilza da Silva Santos, em Campos.

A iniciativa é a primeira etapa do projeto RessocialISE, conduzido pelo curso de Direito da instituição, com o objetivo de ajudar na ressocialização da população carcerária da cidade. Os interessados em contribuir poderão deixar as doações até dia 10/03, na recepção do Isecensa, localizada na Rua Voluntários da Pátria, 272.

Autoestima e mercado de trabalho

De acordo com a professora Rosana Alves, que está à frente do projeto, a fase inicial pretende desenvolver alguns temas importantes junto às mulheres, como autoestima e mercado de trabalho após a saída da prisão.  “Quando falamos em ressocialização de presos, é bom lembrar que, embora pareça uma questão ligada apenas à área do Direito, já que trata de prisão, envolve diversas vertentes do ser humano, como as questões físicas, emocionais, intelectuais, laborais, de forma que há muito trabalho a ser feito, inclusive de forma interdisciplinar. No caso das mulheres é ainda mais sensível, pois elas costumam sofrer abandono afetivo e dificuldade no acesso a itens básicos de higiene feminina”, explicou a docente.

Donativos & Cartas

A entrega dos donativos acontecerá no dia 13/03. Na ocasião, alunos e professores vão realizar um evento com palestras para as detentas, que serão estimuladas a escrever cartas, relatando suas experiências naquele dia e suas principais necessidades, a fim de nortear as próximas ações. A instituição solicita que sejam doados absorventes, pastas de dente, escovas de dente, papel higiênico e sabonetes, além de títulos como “O Pequeno Príncipe” (Antoine de Saint-Exupéry), “Dom Casmurro” (Machado de Assis), “O Cortiço” (Aluísio Azevedo) e “Orgulho e Preconceito” (Jane Austen). A lista completa está disponível no site www.isecensa.edu.br.

Remição de pena pela leitura

A fase inicial pretende desenvolver alguns temas importantes junto às mulheres, como autoestima e mercado de trabalho após a saída da prisão

A Professora Rosana explica que a doação de livros poderá incentivar a remição de pena pela leitura. Segundo a Lei de Execução Penal, a pessoa presa pode reduzir o tempo de pena por meio do trabalho ou estudo. Esse benefício foi expandido em 2013, quando o Conselho Nacional de Justiça editou a Recomendação nº 44, estabelecendo a possibilidade de reduzir a pena também pela leitura. No Estado do Rio de Janeiro, existe a Resolução nº 621/2016, da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, que dispõe que a pessoa presa possui 30 dias para ler uma obra de listagem específica e, após esse prazo, deve elaborar individualmente relatório de leitura ou resenha crítica. “Alcançados os objetivos definidos na Resolução, o detento poderá remir quatro dias de sua pena. Em 12 meses é possível remir, no máximo, 48 dias de pena, ou seja, somente após leitura de 12 livros”, afirmou.

Ímpar comunicação / Bruna Oliva

NENHUM COMENTÁRIO