Filho de Garotinho leva “raquetada” do irmão de Carla

0

Wladimir segue os passos do pai e da mãe e, em três meses, acumula dois processos que podem cassar seu mandato

Fred desce a palmatória em Wladimir

Menino mimado, criado sem nunca ter visto uma salutar palmada ou reprimenda, adolescente e adulto apascentado no ócio, e estranhamente atual milionário, Wladimir Garotinho tomou uma bela “raquetada” do vereador Fred Machado ao tentar puxa brasa para sardinha eleitoral do seu ex-patrão e atual preposto na Alerj deputado Bruno Dauaire.

De olho gordo na prefeitura de São João da Barra, em entrevista a Folha da Manhã, ele disse que: “Em caso de condenação da prefeita Carla Machada (PP) no TSE, o deputado estadual Bruno Dauaire seria “o caminho natural e bom” para São João da Barra”.

Mas não contava com a defesa do irmão da prefeita de São João da Barra vereador Fred Machado, que lhe desceu a palmatória com força, também em entrevista a Folha:

“Já que ele aventou a possibilidade de Carla ser pega na “Machadada” ele tem que começar a pensar também nos processos que está respondendo de compra de votos e de infidelidade partidária ao PRP. Ele nem pode falar em vir candidato porque ele está com pendências judiciais e pode perder o mandato”… (LEIA MAIS AQUI)

Ao fim do caminho

Esse caminho escolhido por Wladimir, pavimentado por cegos ataques a adversários, transformados em desafetos, geométrico crescimento econômico, perigosas e questionáveis estratégias eleitorais, tem forte potencial para levá-lo aos mesmos sombrios locais onde já estiveram a sua mãe e o seu pai…Um trecho da Ação de Investigação Judicial Eleitoral

“Em 07 de outubro p.p., no bairro da Penha, município de Campos dos Goytacazes, localidade na qual a maioria dos moradores é de pessoas humildes, vítimas da chamada “lei do silêncio”, imposta pelo receio de represálias, durante todo o dia das eleições foram oferecidos churrascos em residências próximas aos locais de votação, sendo certo que eleitores eram abordados a entrar no local e de lá saiam direto para a seção eleitoral.

Essa situação, que permaneceu durante todo o período de votação, repita-se, sem qualquer temor ao exército que estava nas ruas do município, foi objeto de diversas denúncias, sendo, portanto, tais fatos de conhecimento do juízo da 100ª Zona Eleitoral e da Delegacia de Policia Federal.

As práticas ilegais não pararam por ai, o grupo político dos Réus, na certeza da impunidade e acreditando que “a lei do silêncio” imperaria no local, por meio do cabo eleitoral Paulo Henrique Barreto Barbosa, ora 3º Réu, no mesmo bairro da Penha, próximo ao colégio eleitoral CIEP Nina Arueira, localizado na Rua Nossa Senhora da Penha, abordava pessoas para oferecer-lhes dinheiro em troca de seus votos, sem qualquer receio de ser flagrado.

Conforme se extrai do vídeo anexo, o Réu Paulo Henrique, juntamente com outras pessoas, dentre elas uma de nome Idário Ribeiro, popularmente conhecido como Linho da Penha, aliciavam pessoas e escancaradamente davam-lhes dinheiro indicando em quem essas pessoas deveriam votar…”

LEIA MAIS AQUI

NENHUM COMENTÁRIO