Dívida trabalhista milionária da Palavra de Paz: só uma ex-funcionária R$ 1.215.720,92

0

Uma denúncia que esta semana circulou forte nas redes sociais sobre uma eventual dívida trabalhista milionária do deputado federal Wladimir Garotinho na empresa AGP Produções Eireli é inverídica. Afinal, a dívida é da empresa AGP Produções, da qual ele já não faz parte.

Mas as dívidas trabalhistas realmente existem e são milionárias, mas quem responde por elas é o pai de Wladimir, Garotinho.

Palavra de Paz

Na realidade, essa empresa é mais conhecida como a “Palavra de Paz” de Garotinho, que declarava como atividade econômica o comércio varejista de jornais, revistas e livros, além de ter a sua sede utilizada como escritório de campanha eleitoral e palco de reuniões pouco recomendadas.

Corpo fora

A explicação para o “equívoco” nas redes sociais pode ser creditado ao fato de que, inicialmente, Anthony Matheus de Oliveira, o Garotinho, tinha ao seu lado no quadro societário da empresa o filho Wladimir Barros Assed Matheus de Oliveira, conhecido como Wladimir Garotinho, a filha Clarissa Garotinho Barros Assed Matheus de Oliveira, mais conhecida como Clarissa Garotinho, e também a esposa Rosângela Barros Assed Matheus de Oliveira, a notória ex-prefeita “Rosinha”.

Saída pela esquerda…

Mas, aos primeiros sinais de que a “palavra” já não ficaria mais tão em “paz” assim, Wladimir, Clarissa e Rosinha foram retirados do quadro societário, e a responsabilização sobre os atos da empresa ficou restrita ao chefe da família. O que pode ser visto por alguns, quem sabe até a justiça, como uma sagaz estratégia de contenção de danos que deixou apenas Garotinho, com o seu parco patrimônio declarado de somente uma “casinha na Lapa”, para pagar, sozinho, uma conta que se revelaria milionária, e que, se executada, em nada de concreto resultaria ao credor.

Outro capítulo

Mas esse é um capítulo anterior de mais essa rocambolesca novela rosácea. O atual já trata do pagamento da indigesta conta que começa a ser cobrada.

A dívida trabalhista milionária que viralizou nas redes sociais se refere a uma decisão judicial do dia 14 de abril passado, tomada pela juíza Alessandra Jappone Rocha Magalhães, da 51ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, que condenou a AGP Produções Eireli (de Garotinho) ao pagamento de mais de um milhão de reais (R$ 1.215.720,92) apenas a ex-funcionária e ex-cabo eleitoral Verônica Bernardo Garcia.

Confira o processo na íntegra AQUI

Outros…

Mas já são muitos os processos em andamento e várias condenações, basta uma busca no site do Tribunal Regional do Trabalho – 1.

Funcionários da Palavra de Paz em pé de guerra

Para relembrar, como era previsto, em 2018, os ex-funcionários da “Palavra de Paz” partiram para a guerra para receber os seus direitos trabalhistas, o que levou ao Inquérito Civil nº 001390.2018.01.000/5 – 28º Ofício Geral da PRT – 1ª Região/RJ (5), em face de AGP Produções EIRELI, CPF/CNPJ – 07496676000167, para investigar a denúncia de não pagamento de salários e direitos trabalhistas como: atraso de 3 meses de pagamento, supressão de vales alimentação e  transporte, não recolhimento de FGTS e INSS, carteiras de trabalho sem assinar, coação nas assinaturas dos termos de rescisão e fraude no seguro desemprego.

NENHUM COMENTÁRIO