Denúncias contra “médium” João “de Deus” vão quebrar Abadiânia

0

O Ministério Público criou uma força-tarefa pra investigar em Abadiânia um dos médiuns mais famosos do Brasil por suspeita de abuso sexual. Os casos de violência foram revelados na sexta-feira passada (7), no programa “Conversa com Bial”. E, desde então, mais de 200 mulheres afirmaram ao MP ter sofrido abuso sexual de João de Deus.

Algumas vítimas dizem que sofreram abuso quando eram crianças ou adolescentes. Uma vítima conta que foi estuprada pelo menos dez vezes. Na época, tinha apenas 11 anos de idade. “Ele pediu para mim colocar a mão para trás e eu senti uma coisa estranha. Aí eu comecei a chorar. E falei assim: ‘O que que é isso’? Ele falou assim: ‘É o que vai te curar’. Aí ele veio para minha frente e fez o que fez comigo. Tudo o que você imaginar”.

Hoje ela tem 41 anos, mas ainda lembra dos detalhes. “Eu falava com ele o tempo todo: ‘Eu quero a minha mãe. Tá doendo’. Ele só falava: ‘Fica quieta’”.

Negócio de sucesso

As centenas de denúncias de abusos sexuais de mulheres que buscaram “tratamento espiritual” na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), trouxeram à tona a sórdida face de perversão e abuso sexual do médium João de Deus, que em quatro décadas se transformou em um negócio comercial de enorme sucesso, ao ponto de fazer a minúscula cidade de cerca de 12 mil habitantes depender do seu mercado de exploração do vazio espiritual e da boa fé alheia.

Quer continuar

E João, que “de Deus”, até os mais ingênuos e crédulos agora sabem que não tem nada, parece não ter desistido de seguir adiante.

Segundo assessores, João de Deus atenderá normalmente pelos próximos três dias.

“Ele está triste, mas está bem. E, no momento certo, vai falar (sobre as denúncias)”, comentou Edna Gomes, assessora de imprensa da Casa Dom Inácio de Loyola. Segundo ela, o médium já chorou diante da repercussão das notícias, mas está convencido de que esclarecerá os fatos.

Além disso, a existência do centro espírita movimenta a economia local, com hotéis, bares, restaurantes, e pousadas funcionando apenas para atender turistas estrangeiros e brasileiros de outras regiões do país.

Indústria da fé

“A renda per capita do município praticamente depende do João. Há 83 pousadas em funcionamento, algumas com até 200 quartos. Enquanto a cidade tem pouco mais de 12 mil moradores, a população flutuante mensal ultrapassa 20 mil pessoas. São entre 3 mil e 5 mil atendimentos semanais”, afirmou Francisco Lobo, um dos secretários da casa, explicando a razão do “carinho” que parte da população local sente por João de Deus.

Medo de perder o negócio

Para Edna e Lobo, os promotores da força-tarefa criada pelo Ministério Público de Goiás podem ter se precipitado ao anunciar que a mera denúncia, em caso de crimes sexuais, pode ser o suficiente e que não descartam a hipótese de pedir o fechamento do centro espírita. “Eu só acho que a Casa não tem nada que ver com isso. A Casa é uma igreja. Você vai fechar uma igreja? Agora, se você quer tirar o padre, o pastor, tudo bem, (que se apure os fatos), mas a igreja é a igreja.”

Famosos reverenciaram o “médium”

O “médium” acusado de abusos sexuais e estupro por centenas de mulheres atendia famosos, nacionais e internacionais. Entre eles, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, atualmente preso na sede da Polícia Federal na cidade de Curitiba, no Paraná.

Quando teve câncer, Lula foi a Casa Dom Inácio de Loyola, o templo de João, em Abadiânia (GO). Após a “cura” do petista, o “médium” virou seu guru, com ele Lula dividia seus segredos mais íntimos.

João esteve, por exemplo, em um dos momentos mais difíceis da vida de Lula, a morte da ex-primeira dama Marisa Letícia. O médium foi à UTI onde Marisa estava internada. A mulher de Lula havia acabado de sofrer um grave acidente Vascular Cerebral (AVC).

Seu suposto “poder” só não foi suficiente para livrar da cadeia o seu famoso cliente.

Vejam abaixo alguns dos famosos que o procuraram.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NENHUM COMENTÁRIO