Covid-19 pode deixar sequelas mesmo em casos leves

0

Sobreviventes da covid-19 têm um risco 59% maior de morrer dentro de um período de seis meses

O estudo Covid Longa, publicado em abril na revista britânica Nature – um dos mais importantes periódicos científicos do mundo –, revelou que sobreviventes da covid-19 têm um risco 59% maior de morrer dentro de um período de seis meses após a infecção. Além do risco maior de não sobreviver, uma série de outros problemas de saúde foi citada como consequência da covid-19. Por exemplo: sequelas no sistema respiratório, no sistema nervoso, distúrbios neurocognitivos, de saúde mental, metabólicos, cardiovasculares e gastrointestinais.  

Mesmo após um ano de pandemia da Covid-19, ainda são realizados inúmeros estudos para entender as diferentes reações e possíveis sequelas da doença. A grande incógnita é entender o porque as sequelas são tão duradouras, mesmo em casos mais leves de infecção.

A falta de ar, perda do olfato e do paladar são os sintomas mais frequentes. Mas a síndrome pós-Covid, como é chamada, inclui alguns outros sintomas como tosse, dor de cabeça persistente, cansaço, fraqueza muscular, problema de concentração, perda de memória, distúrbio do sono, ansiedade e depressão. E isso não apenas em casos graves, casos leves, mesmo sem internação, estão relatando algum desses indícios. Segundo estudo realizado em países da Europa mais de 87% dos pacientes apresentam pelo menos um sintoma persistente da doença.

“Nos últimos dois meses, 90% dos meus atendimentos são casos de pós-Covid-19. Mesmo em casos leves, sem hospitalização e, mesmo após estarem ‘curados’, ou seja, sem a presença do vírus, as queixas são persistentes”, diz Ronaldo Macedo, coordenador do Ambulatório de Doenças Pulmonares Difusas/Intersticiais do HC da Unicamp. “Realizamos uma avaliação pulmonar e cardíaca para avaliar as sequelas e, na maioria dos casos, o resultado é perda de condicionamento físico, perda e fraqueza muscular”, completa o médico.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, até 40% dos recuperados apresentam sequelas. Manter-se ativo, realizar alguma atividade física dentro de casa e caminhada leve ajudarão a não prejudicar o condicionamento físico.

O pneumologista relata que as sequelas não serão necessariamente permanentes e enfatiza a grande importância de ter acompanhamento médico pós Covid-19, para minimizar ou sanar os impactos causados pela doença. “Na clínica contamos com uma equipe altamente qualificada para realizar nos nossos pacientes a fisioterapia respiratória, que é uma grande aliada e auxilia na rápida melhora, buscando trazer de volta a qualidade de vida para cada paciente”, completa.

As sete sequelas mais comuns da covid-19

Fadiga 

Fibrose nos rins  

Falta de ar 

Perda de olfato e de paladar

Ansiedade e depressão  

Diminuição da concentração

Agravamento de doenças preexistentes 

 

NENHUM COMENTÁRIO