Corredores alagados encerram o feriadão no HGG

0

O último dia do feriadão foi de alagamentos, transtornos, e risco, em corredores do Hospital Geral de Guarus (HGG), na tarde/noite de terça-feira (12).

Diversos pontos do teto do Hospital Geral de Guarus alardeados como consertados pelo governo Wladimir Garotinho não resistiram às águas no terceiro dia seguido de precipitações contínuas em toda a região. Uma situação que gerou insegurança, tanto para os pacientes, quanto para os funcionários da instituição, dificultando os tratamentos de saúde.

Populares registraram em vídeo

Em um vídeo de pouco menos de um minuto que “vazou” nas redes logo depois do ocorrido, é possível ver o piso do corredor com placas de marcações indicando a presença de água no chão e o risco de acidentes provocados por escorregões. Também é possível perceber a movimentação de funcionários e de pacientes conversando em tom ligeiramente alterado devido ao quadro inusitado.

Alto risco

Além do risco de acidentes devido ao piso escorregadio, o vídeo mostra ainda o risco iminente da ocorrência de curtos-circuitos, já que grande parte da água que vazava do teto, escorria através das luminárias e também das saídas de ar do sistema de ar condicionado, sugerindo o possível contato da água com fiações elétricas. Um potencial risco de curtos-circuitos que poderia provocar até mesmo um blackout em parte da unidade ou em todo o hospital, o que poria em risco os pacientes que dependiam de aparelhagem médica.

Hospital com falha de comunicação

Logo pela manhã desta quarta-feira (13), a reportagem de Somos tentou falar com a administração da unidade hospitalar, mas, por duas vezes, o telefone do ramal do referido setor tocou até cair. Depois, foi acionada a assessoria da Prefeitura, que encaminhou a demanda à assessoria da Secretaria Municipal de Saúde.

Explicações com antigos argumentos

Segundo a assessoria, a direção do HGG informou que os alagamentos nos corredores da unidade em dias de chuva são um problema antigo decorrente do telhado, cuja reforma consta do projeto de reestruturação e ampliação do hospital. Sobre a chuva de terça-feira (12), afirma que não houve prejuízo no atendimento e nem necessidade, até o momento, de aumento do fluxo de transferência que já acontece. Por ainda estar fechado, também não houve prejuízos no atendimento ambulatorial.

Apesar de tudo, segundo a direção não havia riscos

Apesar da água escorrendo pelas luminárias e corredores alagados, a direção também afirmou que “em momento algum pacientes e funcionários estiveram em risco. A água caiu no corredor e os pacientes não ocupam os corredores da unidade, que conta com novas enfermarias e atendimento humanizado”.

Paciente no corredor do HGG durante alagamento contradiz direção

Reforma em final de licitação

Já o projeto de reforma do hospital encontra-se em fase final de licitação para o início das obras. A Fundação Municipal de Saúde (FMS) ressalta que no último dia 6 foram finalizadas as etapas de entrega de documentos exigidos pelo Estado para a reforma. Foram protocolados os documentos exigidos como: memorial descritivo, planilha com cronograma físico e financeiro, planta e memorial de fluxo hospitalar. Ainda segundo a FMS, o município recebeu um protocolo da Secretaria de Estado de Saúde e agora passa a monitorar a liberação dos recursos para que a obra seja iniciada.

NENHUM COMENTÁRIO