Com saúde em colapso, Campos entra em lockdown

0
Gabinete de Crise

Somos alertou para o colapso

“Com o município de Campos tendo à frente o inexperiente, populista e eleitoreiro prefeito Wladimir Garotinho, visivelmente manipulado por seus líderes políticos paternos, o que tem levado a Saúde de Campos ao caos entre medidas demagógicas e populistas, como a total desorganização e desrespeito na vacinação dos idosos, a rede hospitalar de Campos chega ao colapso, caindo de joelhos diante da pandemia de Covid-19, o que poderá levar pacientes à morte por falta de atendimento”. Leia AQUI

Somos Online em 17 de março de 2021

 

Wladimir fecha tudo, mas não fala a palavra lockdown com medo do desgaste político

Após uma série de medidas ineficazes, eleitoreiras e demagógicas, agravadas pela falta de organização e fiscalização das restrições de enfrentamento à pandemia de Covid-19, e na vacinação dos idosos e de outros grupos prioritários, nessa sexta-feira (19), o prefeito Wladimir Garotinho anunciou um novo lockdown, que havia sido contraditoriamente negado ontem pelo seu secretário de Saúde: “Não tem nenhuma intenção de lockdown nesse momento”. Durante o anúncio do lockdown, palavra que parece ter sido proibida aos agentes municipais, Wladimir foi obrigado a admitir que a Saúde no município de Campos entrou em colapso, com 100% de ocupação das UTI’s públicas e privadas, e uma fila inicial de 17 pessoas aguardando vagas, entre elas quatro crianças.

Gabinete de Crise e a “Crônica de Uma Morte Anunciada” facilmente prevista diante dos erros

Mau exemplo

As duras medidas restritivas para os campistas e o comércio em geral foram anunciadas com o auditório da Prefeitura de Campos lotado, com cerca de 100 pessoas aglomeradas em ambiente fechado.

Remendando o mal feito

Tentando minimizar os danos e o desgaste político causados pelos seus erros na condução do enfrentamento da pandemia, ele anunciou o fechamento total do comércio não essencial e a imposição de redução no horário de funcionamento para os serviços essenciais. As novas regras passam a vigorar a partir da 0h de sábado (20) e, inicialmente, seguem até o próximo dia 28 de março.

Restrições

Serão permitidas apenas atividades essenciais, respeitando restrição de horas, de capacidade máxima e proibição de crianças menores de 10 anos e idosos, além de outras determinações que serão divulgadas oficialmente depois do detalhamento pelas equipes técnicas. Também haverá restrição no horário de funcionamento de supermercados e farmácias que não poderão mais funcionar por 24 horas.

As agências bancárias terão que diminuir o tamanho das filas para evitar aglomeração, principalmente, de idosos. A Caixa Econômica será um dos bancos mais afetados por conta do pagamento dos benefícios sociais naquela instituição financeira.

Wladimir “sossegou o facho”

Tentando ser mais educado, dessa vez o prefeito Wladimir Garotinho não mandou grosseiramente a população “sossegar o facho”, recomendando: “Agora mais do que nunca precisamos respeitar o distanciamento social. Sigam as orientações de saúde e fiquem em casa”. Melhor assim.

Subsecretário de Saúde Paulo Hirano e a situação real

Sistema colapsado

“Até ontem pela manhã tínhamos vaga, durante o dia de ontem foram chegando pacientes e mais pacientes, e hoje nós temos 13 pacientes na fila de espera da UTI. Ou seja, colapsou o sistema.”

Vice-prefeito Frederico Paes

Todos os hospitais lotados

“Falei com os diretores do Beda e Unimed, e me confirmaram que estava com 100% dos leitos ocupados. Fizemos contato com todos os diretores de hospitais que têm leitos contratualizados pela Prefeitura e também fomos informados que estavam com 100% de ocupação.”

Respiradores

“Ontem à noite o prefeito ligou para o governador pedindo apoio para tentar conseguir mais respiradores. Hoje estamos empenhados em comprar, a qualquer preço.”

Lockdown é questão de semântica

“A palavra lockdown é questão de semântica, mas vai ser fechado o comércio a partir de amanhã (sábado) por sugestão do próprio comércio. Acic, Carjopa e CDL. Eu fiquei muito, eu diria, feliz, pela posição dos comerciantes de Campos. Eles entenderam, nós mostramos os números e não houve qualquer tipo de hesitação por parte das entidades que representam o comércio, quando eles viram a situação que nós nos encontramos.”

Rodrigo Bacellar busca reforço do estado, com  respiradores e leitos de UTI

Deputado Rodrigo Bacellar procura reforços para socorrer campistas

O deputado estadual Rodrigo Bacellar (SD), único parlamentar de Campos na Alerj, entrou em contato com o governador Cláudio Castro (PSC) na tadde desta sexta-feira (19) e encaminhou ofício solicitando reforço do governo estadual diante da situação gravíssima do município, que se encontra em colapso, com 100% dos leitos de UTI/Covid ocupados, chegando a ter fila de espera.
Segundo Rodrigo, o momento pede a união de todas as forças políticas. “Estou à disposição do prefeito Wladimir Garotinho para ajudar a nossa cidade. Neste momento não existe lado político. Entrei em contato com o governador e destaquei a necessidade urgente de uma força-tarefa para auxiliar o município de Campos, com ampliação de leitos, medicamentos, respiradores e profissionais, se for necessário. Até porque o colapso em Campos vai além do município, já que outras cidades da região dependem da Saúde de Campos”, frisou Rodrigo.
No ofício encaminhado ao governador, Rodrigo detalha a grave situação do município, que neste momento tem pacientes na fila de espera por um leito de UTI. “Temos inclusive crianças sem conseguir um leito de UTI. Imagine o desespero desses pais”, destacou o parlamentar, lembrando que a população também precisa contribuir.”Importante também que todos tenham a consciência da gravidade e respeitem o decreto e as recomendações das autoridades em saúde”. (Assessoria)

NENHUM COMENTÁRIO