Previcampos: Rosinha, onde está o dinheiro da aposentadoria dos servidores municipais?

0

Os maiores prejudicados foram os funcionários públicos, principalmente os aposentados

Trazido a público nessa terça-feira (28), o relatório final da CPI do Previcampos expôs os absurdos cometidos contra o fundo previdenciário dos funcionários municipais de Campos durante a gestão da ex-prefeita Rosinha Garotinho.

Ela e 13 correligionários foram apontados pelo relatório como responsáveis pelo cometimento de 11 prováveis crimes, como: gestão fraudulenta, associação criminosa, emprego irregular de verbas públicas, corrupção passiva, e caixa 2 eleitoral, veja abaixo:

1) Associação criminosa (artigo 208 do código penal)

2) Gestão fraudulenta e temerária (artigo 4 da lei 7.49286)

3) Emprego irregular de verbas ou rendas públicas (artigo 315 do código penal)

4) Corrupção passiva (artigo 317 do código penal)

5) Caixa 2 eleitoral – dinheiro do PrevCampos para propaganda política. (Artigo 350 do código eleitoral)

6) Falsidade ideológica (artigo 209 do código penal)

7 – Peculato (artigo 312, parágrafo 1 do código penal)

8) Apropriação em indébita previdenciária (artigo 168A, do código penal)

9) Prevaricação (Delito número 9, artigo número 319 do código penal)

10) Lavagem de capitais. (Artigo primeiro lei 9.613 de 98)

11) Improbidade administrativa (artigos 10 e 11 da lei 8.429 de 92)

Para ler o Relatório completo, clique no link abaixo:

Relatório Final CPI – PREVICAMPOS versão 4

Rei Arthur levou 40 milhões do Previcampos, mas livro de Garotinho poderá levar ao dinheiro

Além disso, o PreviCampos também é alvo de uma investigação da Polícia Federal, além do Tribunal de Constas do Estado, que reprovou as contas da gestão Rosinha do ano de 2016. Apenas em uma pouco recomendada transação foi descoberta a utilização de R$ 40 milhões em um hotel de luxo (LSH) na Barra da Tijuca, no Rio, do empresário Arthur Soares Filho “Rei Arthur”, foragido da justiça brasileira e homiziado em Miami, onde fez acordo de delação premiada com as autoridades americanas.

Ironicamente, Garotinho prometeu revelar em seu livro “A Gangue dos Guardanapos”, ainda sem data de lançamento definida, detalhes do destino do dinheiro do “Rei Arthur”, na Suíça.

Talvez a obra “literária” de Garotinho, que se revela um especialista em gangues, possa, finalmente, levar a parte do dinheiro do Previcampos que “evaporou” no governo da sua esposa a ex-prefeita de Campos Rosinha Garotinho.

NENHUM COMENTÁRIO