Delator da Lava Jato reafirma, em depoimento, 3 milhões de propina a Garotinho

1

Denúncias de rombo no PreviCampos e de propina milionária. Facção Rosa está tendo dias bastante animados.

Após a denúncia dos investimentos milionários do dinheiro da previdência dos servidores municipais de Campos (PreviCampos) pela gestão Rosinha em empresas falidas, agora explode, a revelação da Folha da Manhã da confirmação, em depoimento ao 3º Juizado Especial Criminal de Brasília, do delator da Lava Jato Ricardo Saud de pagamento de propina de 3 milhões a Garotinho, através de contrato fraudulento com Ocean Link, utilizando a tal famosa nota fiscal fria com logotipo da Prefeitura de Campos e com o nome de Garotinho manuscrito no alto, segundo o delator Ricardo Saud, escrito por ele mesmo.

A revelação da confirmação caiu como uma bomba entre os rosáceos, no dia do aniversário do seu líder Garotinho, que irá depor, também hoje, no Fórum de Campos, como principal réu na Ação Penal gerada pela Operação Caixa D’Água da Polícia Federal.

Caixa D’Água já deu cadeia para Rosinha e Garotinho

Garotinho sendo levado para presídio de Bangu por conta da Operação Caixa D'Água
Garotinho sendo levado para presídio de Bangu por conta da Operação Caixa D’Água

O depoimento de Saud avaliza as revelações do empresário André Luiz da Silva Rodrigues, o Deca, proprietário da Ocean Link e da Working, empresas que mantinham contratos milionários na gestão da ex-prefeita Rosinha em Campos pagavam propinas.

Durante as investigações da Operação Caixa D’Água, que levou Garotinho e Rosinha à cadeia com mais seis companheiros, foi denunciado que havia um suposto esquema de extorsão de propinas de empresários campistas que tinham contratos com a prefeitura, inclusive, com a utilização de um “braço armado” para as cobranças. Agora, mais uma face do esquema foi revelada no depoimento do executivo Ricardo Saud da JBS.

Reafirmando o que já havia dito

O depoimento de Ricardo Saud, Diretor de Relações Institucionais da JBS, foi realizado no dia 27 de fevereiro com a presença da sua defesa e da defesa de Garotinho e Rosinha, e de advogados de outros réus. Nele, o delator reafirma a delação e relata, detalhadamente, como teria acorrido o pagamento desses três milhões de propina a Garotinho.

Detalhando o esquema

O delator da Lava Jato Ricardo Saud reafirmou pagamento de propina de três milhões a Garotinho, através de contrato fraudulento com Ocean Link
O delator da Lava Jato Ricardo Saud reafirmou pagamento de propina de três milhões a Garotinho, através de contrato fraudulento com Ocean Link – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Segundo Saud, havia um acordo entre a J&F (JBS) e o PT para repasse de dinheiro para a campanha de reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, o PT comprou o apoio do PR com o pagamento, em princípio, de 20 milhões, mas acabou sendo de 40 milhões.

O presidente Nacional do PR Antônio Carlos Rodrigues sendo preso
O presidente Nacional do PR Antônio Carlos Rodrigues sendo preso

Ainda, segundo o depoimento, o presidente nacional do PR Antônio Carlos Rodrigues, durante três semanas, relutou em repassar os 3 milhões a Garotinho, mas depois teve que ceder, afirmando que estaria sendo pressionado por Garotinho que queria receber 4 milhões, com o que Saud concordou, e Rodrigues colocou o genro Fabiano Alonso para intermediar o repasse da propina com a simulação de um contrato entre a JBS e a Ocean Link.

A transação quase foi abortada quando a nota fiscal chegou, e Saud verificou que o capital social da empresa era muito baixo para o valor, sugerindo o parcelamento do pagamento, mas sendo imediatamente interpelado por Fabiano Afonso que disse ter recebido uma bronca de Garotinho que exigiu o pagamento imediato.

Garotinho nervoso

Mas o executivo declarou que dos 3 milhões exigidos, 2.6 milhões foram pagos no dia seguinte, surpreendendo até mesmos outros diretores da JBS. Logo após, Fabiano Alonso retornou e disse que “Garotinho estava nervoso e que eu sabia como ele era. Eu não sabia, mas liberei.”

Dando continuação ao seu depoimento, o delator disse que os serviços contratos a Ocean Link nunca foram executados e que nem a JBS tinha interesse nisso. O único objetivo era o repasse do dinheiro a Garotinho. Afirmando que nunca esteve pessoalmente com Rosinha, nem com representantes da Ocean Link.

“A única coisa que pedi é que não fosse oficial. Não queria que fosse oficial que a gente estava dando 3 milhões para campanha de Garotinho numa eleição que a gente não tinha nada a ver. Segundo ele, as planilhas entregues comprovariam seu depoimento.

1 COMENTÁRIO

  1. […] Após a denúncia dos investimentos milionários do dinheiro da previdência dos servidores municipais de Campos (PreviCampos) pela gestão Rosinha em empresas falidas, agora explode, a revelação da Folha da Manhã da confirmação, em depoimento ao 3º Juizado Especial Criminal de Brasília, do delator da Lava Jato Ricardo Saud de pagamento de propina de 3 milhões a Garotinho, através de contrato fraudulento com Ocean Link, utilizando a tal famosa nota fiscal fria com logotipo da Prefeitura de Campos e com o nome de Garotinho manuscrito no alto, segundo o delator Ricardo Saud, escrito por ele mesmo. (veja a matéria original aqui) […]