Um diálogo privado utilizado como arma por um réu que vê seus julgadores como desafetos

0

A correta leitura da retratação do juiz Glaucenir Oliveira ao Ministro Gilmar Mendes deve ser a de um altruísta sacrifício em prol da sociedade. Imolar-se na fogueira das vaidades e deixar-se passivamente afastar por uma bem urdida vingança seria tudo o que os seus desafetos gostariam.

A retratação, acreditem, talvez tenha doído mais neles do que o muito que deve ter doído em Glaucenir.

 O pior em todo esse episódio é saber que o juiz Glaucenir foi vítima da traição anônima de um dos componentes de um grupo fechado de WhatsApp que teria tornado público um diálogo privado, daqueles em que se tem a liberdade de falar o que se pensa, imaginando estar apenas entre pessoas que respeitam a ética e a privacidade.

 E essa traição foi realizada da pior forma possível, com o traidor encaminhando o que era um diálogo privado para se tornar público e ser utilizado como arma por um réu que, notoriamente, vê autoridades judiciais, policiais e os seus julgadores como desafetos pessoais, a quem não titubeia em tentar desqualificar com invencionices e agressões fantasiosas, em desesperadas tentativas de escapar da responsabilização pelos seus atos ilegais na vida pública e, principalmente, na privada.

Mas, certamente, esse mesmo réu um dia se voltará contra aquele que o armou, afinal, ele sofre daquela incurável síndrome que acometia o escorpião que picou a tartaruga que o salvara…

O certo é que causa muita estranheza a todos os brasileiros a reincidente condescendência que o “todo poderoso” Ministro Gilmar Mendes demonstra por alguns réus. Ao ponto de ter que passar a voar em aviões militares para não ser confrontado nos aviões de carreira pela inconformidade popular diante das suas questionáveis decisões.

Para finalizar, dedico esse premonitório poema ao juiz Glaucenir Oliveira:

Poeminho do Contra

Todos esses que aí estão

Atravancando meu caminho,

Eles passarão…

Eu passarinho!

Mario Quintana

 Por Esdras Pereira / Jornalista / Diretor do Somos Online

NENHUM COMENTÁRIO