Um pouco da história do Goytacaz, “O mais querido da cidade”

2

O nome do Goytacaz veio dos famosos goytacás, índios bravos e guerreiros, adoradores de Tupã, o “Deus do Trovão”. A idéia de criar o time veio de um pequeno grupo que admirava um esporte inglês, tradicionalmente praticado pela elite e apenas permitido aos brancos, que chegou ao Brasil no final do século XIX pelo paulista Charles Miller. Além do football, havia outro esporte, o mais tradicional em Campos durante a Belle Époque, o remo.

Alcunhas:

Goyta
Azul da Rua do Gás
Alvi-Anil
O Mais Querido da Cidade
Trovão Azul
Gigante da Planície

Lá atrás

No ano de 1906, Campos já contava com dois clubes de regatas e remo, o Clube de Natação e Regatas Campista e o Sport Club Saldanha da Gama; o Paraíba, como local de esportes, já era utilizado na segunda metade do século XIX. Na altura do Campos Shopping e do Corpo de Bombeiros havia um porto, e junto ao porto, no ano de 1873, foi inaugurado um “barco de banhos” conhecido pelos campistas  como “A Barca de Banhos”. A barca era composta por 8 casinhas com pequenas piscinas, seguidas de uma piscina maior, estas piscinas eram abertas ao rio com grades de proteção e serviam para banho e a maior para aulas de natação. A famosa barca acabou fechando no ano de 1874.

Criação

No ano de 1912, o Goyta foi criado por frequentadores do Clube de Natação e Regatas Campista, tendo o seu primeiro “campinho” na pracinha em frente à Igreja de Santo Antônio de Guarus, meses depois o time teve a sua primeira partida contra o Internacional, e venceu por 2 a 1. O time ainda foi o primeiro campeão campista em 1914.

Internacional x Goytacaz
Internacional x Goytacaz

O Clube e a Villa Maria:

Casa de Cultura Villa Maria
Casa de Cultura Villa Maria

Segundo Aristides Leo Parto, em seu livro “No país do futebol, cidade sem memória”, o segundo campo do Goyta foi na Praça da República, onde a Prefeitura Municipal cedeu um terreno, mas ali o clube não ficaria por muito tempo, pois logo se mudaria para perto do Liceu de Humanidades, no antigo campo do Luso Brasileiro, no mesmo terreno onde mais tarde seria construído o Palacete de Finasinha Queiróz, transformado após a sua morte na Casa de cultura Villa Maria.

A Rua do Gás

O Goyta na Rua do Gás
O Goyta na Rua do Gás

Ainda no início do século XX, o Clube mudou para a Rua do Gás, inaugurando o seu estádio no ano de 1938 com o nome de Estádio Ary de Oliveira e Souza em homenagem ao ex-presidente do Clube. Nesta mesma época, o Goyta chegou a ter uma equipe e participou de um torneio feminino de Football organizado pelo Monsenhor Severino, diretor do Orfanato São José com o intuito de arrecadar fundos para a instituição. Além do Goyta, participaram com equipes femininas o Americano, o Rio Branco e o Industrial.

Equipe Feminina em 1931
Equipe Feminina em 1931

A história campista do século XX e a do time da Rua do Gás estão diretamente ligadas, foi o primeiro estádio do interior do estado do Rio a possuir energia elétrica nos anos 30. Entre os seus torcedores e ex jogador está o famoso ator global Tonico Pereira que, antes de ser torcedor e ator, foi jogador do time, a camisa do azulão chegou a ser vestida, inclusive, pelo ator Carlos Villagrán, o Kiko do seriado Mexicano Chaves. Além de Tonico, outro famoso ex-jogador do Time foi o Abel Braga que encerrou a carreira como jogador do clube.

Tonico Pereira que, antes de ser torcedor e ator, foi jogador do time
Tonico Pereira que, antes de ser torcedor e ator, foi jogador do time
A camisa do azulão chegou a ser vestida, inclusive, pelo ator Carlos Villagrán, o Kiko do seriado mexicano Chaves
A camisa do azulão chegou a ser vestida, inclusive, pelo ator Carlos Villagrán, o Kiko do seriado mexicano Chaves

No ano de 1963, o time foi a primeira equipe da cidade a jogar no Maracanã, levantou duas Taças Campistas e cinco Campeonatos Estaduais, foi Vice da Taça de Prata em 1985 e campeão da Taça Santos Dumont em 2017.

Hoje termino este artigo celebrando mais um título. No mesmo momento em que escrevo este artigo, o Goyta faz a festa no histórico Aryzão, depois de 35 anos, o time é novamente campeão.

Por Matheus Venancio – Publicitário e autor de A Enciclopédia Campista.

2 Comentarios

  1. Gostaria de externar uma partida que nos anos 80, pude acompanhar do, Goitacaz 2×1 Flamengo. Não me recordo quem fez os gols dessa partida, mas foi uma partida maravilhosa, com vários lances de emoção. Naquela época, o Flamengo com seu seleto time de grandes nomes como Leandro, Andrade, Adílio e Bebeto, e tantos outros, e somente o craque maior o Zico não pode estar naquela partida pois estava machucado. Mas o que mais me marcou naquela partida, foi o lateral direito Ditinho do Goitacaz um exibição de galã, o comentário da arquibancada de um colega na época era que ele, tinha vindo por empréstimo do Palmeiras, a partir daí passei a ver outros jogos do Goita, e sempre com o futebol refinado do Ditinho. Essa é uma pequena lembrança do Goita que tenho, uma equipe memorável. Parabéns ao Goitacaz por esta grandiosa conquista, e que ele permaneça na elite do futebol carioca, buscando sempre novas conquistas.