2ª fase da “Operação Propaganda Limpa” investiga divulgação massiva de fake news

0

Nessa segunda-feira, o Ministério Público Eleitoral deflagrou a 2ª fase da “Operação Propaganda Limpa” em Campos contra suspeitos de pertencer a uma quadrilha que espalhava fake news contra adversários de Wladimir Garotinho para manipular a opinião pública durante as últimas eleições municipais.

A operação foi realizada por agentes do Grupo Apoio a Promotoria (GAP) e da Polícia Militar para cumprimento de mandatos no Jóquei, Guarus e Conselheiro Josino, com apreensão de celulares, computadores e outros. Os alvos foram quatro suspeitos não localizados durante a primeira fase. Três deles foram localizados pelos policiais e agentes e tiveram aparelhos celulares e computadores recolhidos. A acusação aponta a utilização de divulgação massiva de fake news durante a campanha eleitoral em Campos.

Relembre

A primeira fase da operação aconteceu no dia 27 de novembro, dois dias antes do segundo turno da eleição para prefeitura, QUANDO o Ministério Público Eleitoral desfechou a “Operação Propaganda Limpa” que cumpriu pedidos e mandados de busca e apreensão contra 11 pessoas ligadas a Wladimir Garotinho suspeitas de atuarem no esquema de propagação de notícias falsas (Fake News) para atingir a imagem do seu opositor Caio Viana utilizando sites de fachada e perfis no Facebook.

Segundo o Ministério Público, na realidade são 12 os suspeitos de envolvimento na divulgação das fake news em redes sociais e sites na internet, compondo parte de “uma rede de apoiadores do candidato Wladimir Garotinho”.

MPE pede inelegibilidade de Wladimir Garotinho por abuso de poder econômico e Fake News

O MPE ajuizou uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) contra a chapa Wladimir Garotinho/Frederico Paes (PSD)  por abuso de poder econômico e compartilhamento de fake news, por Wladimir Garotinho ter utilizado recursos de campanha para fazer impulsionamento ilícito em sua página pessoal do Facebook, atingindo aproximadamente 100.000 seguidores.

A denúncia aponta: “As publicações da chapa do PSD tiveram o objetivo de atingir a imagem do seu concorrente de 2º turno, o candidato Caio Viana, através da divulgação de informações falsas que vinculavam o atual Prefeito Rafael Diniz ao candidato Caio Vianna, dizendo que os dois estariam fazendo ameaças aos funcionários, numa clara tentativa de enganar os eleitores, levando-os a crer que os dois estariam juntos nesse 2º turno das eleições municipais e que, assim, o candidato Caio Viana representaria uma continuidade à administração do atual prefeito, bem como de todos os problemas salariais que foram noticiados na imprensa nos últimos meses e anos… Foram, nada mais  nada menos, que 50 impulsionamentos feitos por ele mesmo, números esses que, por si só, já são suficientes para afetar a lisura do processo democrático.”

Wladimir minimiza investigação do MPE

Em nota, a assessoria do prefeito eleito, mas ainda não diplomado, Wladimir Garotinho, minimizou o trabalho de investigação do Ministério Público Eleitoral e cita como prova a seu favor “matérias jornalísticas” de sites.

“No momento o foco do prefeito eleito é se preparar para governar a cidade que está destruída e promover o bem a população. É público e notório que Caio Vianna contou com o apoio do prefeito Rafael Diniz e seus correligionários, não sendo essa afirmação uma fake news, com todo o respeito que a defesa técnica tem ao judiciário, que foi induzido a erro. Wladimir Garotinho se apoia nas afirmações de inúmeras pessoas no decorrer da campanha e matérias jornalísticas que asseguram que efetivamente isso ocorreu, o que será mostrado no momento oportuno.”

Sites suspeitos

A investigação cita os sites: “Click Campos”, “Muda Campos” e “Notícias Campos”, além de perfis nas redes sociais que estariam promovendo notícias falsas durante a campanha eleitoral de Campos.

“Jornais de fachada”

Segundo o MPE: “Após muitas checagens, foi observado que pelo menos dois ‘jornais’ são de fachada “Muda Campos”, “Click Campos” e “Notícias Campos”, sem existência no mundo real, sem CNPJ, sem personalidade jurídica, sem capacidade jurídica, ambas publicando informações a partir de falsidade ideológica.”

Na primeira fase da Operação Propaganda Limpa, integrantes do “Muda Campos” e “Notícias Campos” foram conduzidos para 134ª DP do Centro, onde assinaram um termo e foram liberadas na sequência. Também foram apreendidos materiais eletrônicos como celulares e computadores.

LEIA MAIS AQUI

https://somosassim.com.br/portal/mpe-quer-inelegibilidade-de-wladimir-por-abuso-de-poder-economico-e-fake-news/

A prática é antiga

Somos em 2018: “As descaradas fake news fora amplamente divulgadas em páginas e blogs da Facção Rosa, inclusive, e principalmente, em um dos perfis de Facebook de Wladimir, filho de Rosinha e Garotinho, jovem de imedidas ambições eleitoreiras e já pré candidato.”

Confira no link abaixo:

https://somosassim.com.br/portal/wladimir-dispara-fake-news-para-tentar-manipular-a-populacao-de-campos/

NENHUM COMENTÁRIO