Procurador quer que investigação sobre compra de votos de Wladimir e Bruno continue

0

Apesar de Wladimir Barros Assed Matheus de Oliveira, que atende pela alcunha de Wladimir “Garotinho”, eleito deputado federal no pleito questionado, tentar minimizar a Ação de Investigação Judicial Eleitoral proposta pelo Diretório Estadual do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade/RJ), e a Coligação Mudar é Possível (PSOL-PCB), por suposta compra de votos a 50 reais e abuso de poder econômico, a que responde junto com seu ex-patrão Bruno Dauaire, reeleito deputado estadual, por um cabo eleitoral dos dois ter supostamente oferecido dinheiro a eleitores no bairro da Penha, em Campos, o Procurador Regional Eleitoral Sidney Madruga deu parecer favorável ao prosseguimento da investigação, afastando a hipótese de que o réu Paulo Henrique Barbosa não poderia ser pólo passivo na ação, pois ela envolve o crime de abuso de poder econômico que o alcança.

Investigado suposto acordo com o tráfico do Eldorado

Além disso, os réus Wladimir “Garotinho” e Bruno Dauaire também são acusados de terem sido favorecidos por um esquema que lhes dava exclusividade para fazer campanha no Parque Eldorado com apoio político do líder do tráfico de drogas local.

Réus contestam provas

Os réus também alegaram que provas como testemunhas, vídeos, fotografias e áudios, anexadas a Ação seriam insuficientes para provar a conduta ilícita (confira os links abaixo), o que futuramente deverá ser decidido em juízo.

O cabo eleitoral de Wladimir e Bruno, Paulo Henrique Barbosa, já condenado na Chequinho, fazendo boca de urna na Penha
Imagem capturada de vídeo anexado a Ação de uma eleitora recebendo o que seria uma nota de 50 reais

Em seu parecer o Procurador Regional Eleitoral Sidney Madruga declara:

“… Ante o exposto, manifesta-se a Procuradoria Regional Eleitoral pela rejeição da preliminar aventada e requer o regular prosseguimento do feito, consoante o rito disposto no artigo 22, da Lei Complementar n. 64/90, com posterior vista dos autos após manifestação final das partes.”

Confira os links abaixo, e entenda o caso

PSOL pede cassação de Wladimir e Bruno por suposta compra de votos a 50 reais

CONFIRA AQUI:

https://somosassim.com.br/portal/pedida-cassacao-de-wladimir-e-bruno-por-suposta-compra-de-votos-a-50-reais/

Wladimir não explica acusação de compra de votos em pedido de cassação

CONFIRA AQUI:

https://somosassim.com.br/portal/wladimir-nao-explica-acusacao-de-compra-de-votos-em-pedido-de-cassacao/

Suposto comprador de votos é ex-DAS de Rosinha e assessor de Bruno, chefiado na Alerj por Wladimir, e condenado na “Chequinho”

CONFIRA AQUI:

https://somosassim.com.br/portal/suposto-comprador-de-votos-e-ex-das-de-rosinha-e-assessor-de-bruno-chefiado-na-alerj-por-wladimir/

Leia abaixo a íntegra do parecer do MPF:

NENHUM COMENTÁRIO