Blog do Garotinho de volta com ataque ao Tribunal Regional Federal 2

0

A Escolinha do Professor Bolinha voltou ao ar. Depois de ficar meses no canto da sala ajoelhado no milho, o Blog do Garotinho foi reativado para alegria da Facção Rosa.

De “gancho” por propaganda eleitoral antecipada, a página foi liberada pelo TSE por seu autor, que não pode votar e, tampouco, ser votado, aparentemente não mais oferecer mais riscos de infrigência do código eleitoral.

Justificando o retorno após o castigo judicial, mas sempre temerário, Garotinho fez o seu rentrée com a singela postagem:

“Garotinho conta tudo que está por trás da decisão do TRF2″ (Garotinho)

Conseguimos junto ao Superior Tribunal de Justiça recolocar nosso Blog do Garotinho no ar. A decisão de tirá-lo da internet foi para que você não compreendesse bem o que estava sendo feito em relação à minha candidatura ao governo do estado do Rio de Janeiro. 
A entrevista que está abaixo ficou menos de 48 horas no ar e provocou revolta na população. Mais uma vez, às vésperas da eleição uma decisão judicial para tentar impedir minha candidatura. Conforme dito por mim na própria entrevista, a decisão não foi utilizada para negar o registro da minha candidatura. Serviu apenas para confundir os eleitores. 
Os fatos utilizados pelo Sr. Ministro Relator foram: 
1 – A perda dos meus direitos políticos (absurdo!), por conta de um discurso que fiz na Tribuna dos Deputados atacando a decisão do juiz da 1ª Instância, que julgou aquele caso. Crime de Opinião! Isso mesmo… Ainda existe no Brasil de hoje. 
2 – O segundo foi um fato ocorrido em 2005, que não me impediu de ser candidato em 2010, sendo eleito deputado federal com quase 700 mil votos, e nem mesmo de ser candidato a governador do estado em 2014 com resultado estranhíssimo, pois até meus adversários reconheciam que eu disputaria o 2º turno, conforme mostravam as pesquisas de boca de urna feitas após a votação dos eleitores. Será que as urnas são confiáveis mesmo? 
Não sou bandido, não sou corrupto, não cometi crime algum! A eleição do Rio não reflete a vontade do povo!”.

Confira AQUI

NENHUM COMENTÁRIO