Vídeo de Wladmir mostra a “Demagogia do Pão com Mortadela” no Restaurante Popular

0
Vídeos mostra Wladimir comprando o café da "manifestação popular"

Ao contrário das declarações das cristãs novas do velho e desgastado “Garotismo”, a manifestação de ontem, absolutamente, não foi fruto de convocação livre em redes sociais ou de uma ingênua e espontânea “vaquinha” entre um grupo de amigos. Todas as tentativas de creditar a “manifestação” a outrem não convenceram a população e, agora, pior ainda, foram por água abaixo dos vídeos que provam exatamente ao contrário do que amadora e temerariamente foi afirmado.

Manipulação

Na realidade, a fracassada tentativa de uma abjeta manipulação da opinião pública foi apenas um movimento de oposição orquestrado pelo líder rosa lá do seu exílio carioca através do filho Wladmir, que manipulou seus peões em direção à demagoga “manifestação” em frente ao Restaurante Popular, fechado por falta de recursos para mantê-lo por terem sido esbanjados e comprometidos por décadas no governo da sua mãe, a ex-prefeita Rosinha Garotinho que, por aqui, agora, só aparece por determinação judicial depois que Campos deixou de ser (a sua) “Minha Cidade Meu Amor”, para voltar a ser o que nunca deveria ter deixado de ter sido: a “Nossa Cidade, Nosso Amor” de todos os campistas.

Mentiras de pernas curtas e café pequeno

Mas, se a mentira tem pernas curtas, a verdade não é míope, e, além do mais, é moderninha, e filma para provar.

Os vídeos e fotos abaixo mostram o jovem, apesar de mal orientado, Wladmir Garotinho, comprando o café, a ser distribuído, em uma padaria das redondezas, o que joga por terra a rocambolesca e mal construída versão de que o demagogo café com pão e mortadela teria sido bancado por um grupo de amigos.

Comprando o café com segurança

O que se vê e ouve nas imagens abaixo é o jovem e, insisto, mal orientado Wladmir Garotinho chegando a uma padaria com o seu segurança (de terno) para comprar o café de posse de um recipiente térmico que, apesar de grande, é visivelmente insuficiente para “matar a fome” de quem, segundo eles, teria procurado o Restaurante Popular, apesar da ampla divulgação da sua paralisação, mas de tamanho mais do que suficiente e bastante econômico para servir de ferramenta à demagógica e mal fabricada manifestação, onde os rosáceos tentaram, mais uma vez, como sempre fizeram, explorar politicamente os mais carentes, deixados agora nessa situação, única e simplesmente, por má administração dos recursos do município nos sucessivos governos do ex-co-prefeito Garotinho e da sua esposa Rosinha, que já estão sendo investigados em vários âmbitos, para felicidade geral dos seus advogados, que defendem com voracidade o “leite das crianças”

Moinhos de vento

Essa fracassada tentativa do Sancho Pança da Lapa de manipular a opinião pública ao preço de café comprado na padaria da esquina não convenceu a população de Campos, que a repudiou de forma veemente, e até muito contundente, nas redes sociais.

A verdade não ouvida

Nessa terça-feira, o dia seguinte da manifestação mal fabricada pelos Garotinhos e seus remanescentes militantes e novos “líderes laranjas de manifestações”, um popular foi para frente do Restaurante Popular, onde não apareceram os militantes rosas para “matar a fome” de ninguém, como se fome tivesse um dia, mas, nessa oportunidade, o discurso foi outro, ele se dispunha a falar a verdade. Dessa vez, claro, os rosáceos não apareceram para ouvir. Confira também nos vídeos abaixo.

Lixeira da prefeitura inutilizada e transformada em caixa de som por manifestantes rosas

Em tempo: a lixeira utilizada como caixa de som pelos manifestantes parece ser das mesmas utilizadas pelos garis e de propriedade da Prefeitura de Campos. Confira:

Caixa de som da manifestação foi feita com inutilização de lixeira da prefeitura utilizada pelos garis
Caixa de som da manifestação foi feita com a inutilização de lixeira da prefeitura que deveria ser utilizada pelos garis

 

 

NENHUM COMENTÁRIO