Rosinha condenada por “compra de votos patrocinada por dinheiro público”

0
"Patrocínio dos cofres públicos nas Eleições de 2016"

Nessa terça-feira, a ex-prefeita Rosinha Garotinho foi condenada pelo juiz Eron Simas a oito anos de inelegibilidade na Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) da Chequinho, que investigou a compra de votos com Cheques Cidadão pagos com dinheiro público. Compartilham da mesma sentença o seu vice e candidato a prefeito no último pleito, Chicão Oliveira (PR), o ex-vereador Mauro Silva (PSDB), que disputou como vice de Chicão, e a ex-secretária de Desenvolvimento Humano e Social Ana Alice Alvarenga e Gisele Koch, ex-coordenadora do programa de transferência de renda.

A decisão, apesar de ser de primeira instância e de caber recurso, é uma satisfação à sociedade campista. Leia abaixo trechos da sentença:

Violação dos cofres públicos

"Abuso de poder político e de poder econômico"
“Abuso de poder político e de poder econômico”

“quanto à investigada Rosângela Rosinha Garotinho Barros Assed Matheus de Oliveira, não é crível, nem lógico, que tenha sido alijada do processo decisório que resultou no esquema fraudulento com o programa Cheque Cidadão. De outro lado, mesmo que se admita, por suposição, essa possibilidade, não há como escapar do juízo de responsabilidade que advém de sua flagrante omissão, ao permitir tamanha violação aos cofres públicos do Município que comandava”.

Compra de votos patrocinada com dinheiro público

“o abuso de poder político e de poder econômico praticados pelos investigados, tendo em vista que os candidatos da Coligação Frente Popular Progressista de Campos obtiveram verdadeiro – e ilegal – patrocínio dos cofres públicos nas Eleições de 2016, impulsionado por milionário esquema de compra de votos engendrado a partir do desvirtuamento do programa social Cheque Cidadão”.

NENHUM COMENTÁRIO