Pirarucu de quase 200 quilos em Lagoa de Cima

0

Vou vender o peixe mesmo preço que comprei, mas os amigos garantem que esse pirarucu de quase duzentos quilos no vídeo abaixo foi recentemente pescado em Lagoa de Cima, confirmando uma antiga lenda urbana de fuga de açudes particulares durante cheias.

Mas os campistas já andam escaldados, há pouco tempo circulou a natimorta lenda da sucuri que engolia gente lá no “Lago dos Sonhos”. Esperamos que esse pirarucu também não seja apenas mais um sonho…

Saiba mais sobre o Pirarucu: o gigante das águas doces

Figura meramente ilustrativa
Figura meramente ilustrativa
O pirarucu (Arapaima gigas) é um dos maiores peixes de água doce do planeta. Nativo da Amazônia, ele promove benefícios para o ecossistema e comunidades que vivem da pesca. Seu nome vem de dois termos indígenas pira, “peixe”, e urucum, “vermelho”, devido à cor de sua cauda.
Por ser um peixe de grandes dimensões, o comprimento quando adulto costuma variar de dois a três metros, e o peso, de 100 a 200 kg. Possui dois aparelhos respiratórios, as brânquias, para a respiração aquática, e a bexiga natatória modificada, especializada para funcionar como pulmão na respiração aérea.

A espécie vive em lagos e rios afluentes, de águas claras, com temperaturas que variam de 24° a 37°C. O pirarucu não é encontrado em lugares com fortes correntezas ou em águas com sedimentos.

O pirarucu é um animal onívoro, pois se alimenta de seres animais e vegetais. Na alimentação do peixe, podemos encontrar frutas, vermes, insetos, moluscos, crustáceos, peixes, anfíbios, répteis e até mesmo aves aquáticas.

A espécie corre risco de extinção devido à pesca predatória praticada ao longo de muitos anos. A reprodução natural do peixe é insuficiente para repor o número de pirarucus pescados. A exploração não sustentável fez com que o Ibama – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – criasse em 2004 uma Instrução Normativa que regulamenta a pesca do pirarucu na Amazônia, proibindo-a em alguns meses do ano e estabelecendo tamanhos mínimos para pesca e comercialização da espécie.
Fonte: WWF-Brasil. Uma ONG brasileira, participante de uma rede internacional e comprometida com a conservação da natureza dentro do contexto social e econômico brasileiro.

NENHUM COMENTÁRIO