Mais uma derrota, Garotinho e seu advogado tiveram indeferido pedido para atrasar o processo

0

A explicação para os ferozes ataques de Garotinho e do seu milionário advogado Fernando Fernandes contra o juiz Glaucenir Oliveira da 100ª ZE é simples: medo.

Colecionando seguidas derrotas e sabendo que o Dr. Glaucenir Oliveira é conhecido pelo peso e rigor da sua caneta, segundo se comenta nos corredores do Fórum ele é muito temido pelo réu e seu advogado, que estão fazendo de tudo para impedi-lo de atuar no processo e para que não realize as audiências programadas, utilizando expedientes considerados procrastinatórios nos meios judiciais. Antes que algum simpatizando do réu e do seu advogado questione a utilização do vocábulo, segue a sua definição abaixo:

Procrastinatório

Método de atrapalhar, barrar, prorrogar, impedir.

(Por Magnus Defensor SP)

Indeferido

A última tentativa de procrastinação foi indeferida nessa sexta-feira pelo juiz Glaucenir Oliveira, um pedido de “desistência expressa do grande número de testemunhas antes arroladas e requerendo a oitiva de apenas 08 delas, indicando suas ‘mínimas’ qualificações e insistindo em suas oitivas. Eis que reputa imprescindíveis para o deslinde da causa e ‘prova de inocência’.”

Outros trechos da decisão:

“Insistentemente, o réu vem requerendo oitivas de testemunhas que residem fora e muito distante do distrito da culpa, sem que apresentem a relevância dos seus depoimentos.”

“… Vislumbra-se, mais uma vez, que a defesa insiste em manobra processual procrastinatória e que visa eternizar o processo…”

“… Observo ainda que um dos arrolados é o Sr Ricardo Molina que, segundo a defesa, é perito fonético, sem, contudo, explicar a razão da sua oitiva, o que, aliás, nunca fez a defesa. Mostra-se, claramente, o fim protelatório…”

“… Importa frisar que o próprio TRE, no julgamento do já referido HC contra decisão desse Juízo, reconheceu expressamente que a defesa do réu maneja expedientes repetitivos e costumeiros, como nítido fim de retardar o trâmite da Ação Penal…”

“… Por tal razão, reconheceu aquele colegiado, por seu pleno, que a defesa do réu demonstra Litigância de Má Fé, malferindo a ordem dos trabalhos processuais”…

“Assim indefiro o pleito defensivo procrastinatório”…


deci-1deci-3 deci-2

Próximos passos

Agora vamos aguardar os próximo passos do réu Garotinho e do seu milionário advogado Fernando Fernandes nas tentativas de atrasar (procrastinar) a Ação Penal e afastar as autoridades judiciais envolvidas. Essas tentativas são quase uma confissão de culpa das acusações, já que a utilização desses métodos parece mostrar que réu e advogado não acreditam em uma absolvição pelos meios naturais.

NENHUM COMENTÁRIO