Garotinho perde de 6×0 e Pudim ganha de 6×0 no TRE

0
"Digo sinceramente, esse rapaz está precisando de tratamento, porque ele vive em um mundo da fantasia"

Derrota de Garotinho

Garotinho amarga mais uma derrota em direção ao cumprimento da sua pena de quase dez anos
Garotinho amarga mais uma derrota em direção ao cumprimento da sua pena de quase dez anos

Garotinho perde mais uma, dessa vez pretendendo suspender a Ação da “Chequinho” até o resultado do julgamento da suspeição do juiz Ralph Manhães que o condenou a quase dez anos de cadeia.

Mas o plenário do TER decidiu por unanimidade que os dois pedidos de Habeaus Corpus impetrados pela defesa de Garotinho estavam prejudicados.

Motivo A: A 100ª ZE foi extinta e todos os processos passaram para 76ª Zona Eleitoral

Motivo A: A Ação Penal já foi julgada e Garotinho condenado a nove anos, 11 meses e 10 dias por corrupção eleitoral, repetida 17.515 vezes, associação criminosa, supressão de documento e coação no curso do processo.

Simples assim. A Ação Penal continua valendo.

 Vitória de Pudim

Pudim mantém o mandato com vitória sobre Garotinho, o grande derrotado do dia
Pudim mantém o mandato com vitória sobre Garotinho, o grande derrotado do dia

O deputado Geraldo Pudim saiu vitorioso de uma Ação de infidelidade partidária movida pelo PR.

A batalha jurídica foi vencida por unanimidade, por decisão do plenário do TRE, e ele está livre da acusação e pode deixar o PR e ir livremente para o PMDB, o seu novo partido.

Pudim fala com o Somos Online

“Sob o aspecto jurídico eu não tinha dúvida nenhuma de que iria vencer, mas ele (Garotinho) criou na cabeça dele uma tese de infidelidade partidária que não tinha a menor chance de prosperar, porque ele nunca, em momento alguma da Ação que pediu o meu mandato, ele que é o dono do PR, o imperador do PR,       mostrou qual foi o ato de infidelidade partidária que eu cometi para que ele pudesse me suspender das minhas atividades partidárias.

Ele me suspendeu do PR quando eu ainda estava no PR, ele me tirou da executiva do partido, quando eu ainda estava no partido. E tudo isso eu provei nos autos do processo através de nota assinada por todos os membros do PR de que em momento algum eu cometi na Assembleia, ou em qualquer lugar, ato que pudesse demonstrar que eu cometi infidelidade partidária. Inclusive o próprio líder à época Deputado Rogério Lisboa assinou uma nota dizendo que eu sempre votei com orientação do partido. Não tinha como prosperar essa loucura.

Precisa de tratamento

Digo sinceramente, esse rapaz está precisando de tratamento, porque ele vive em um mundo da fantasia, ele vive em um ambiente onde ele é o delegado, o promotor, o juiz, o desembargador, e o ministro. Cada hora ele se veste de um. Ele vive em um mundo irreal, onde a verdade é dele, é não de mais ninguém. E fica batendo na cabeça das pessoas para que as pessoas acreditem nessa mentira que ele quer provar que é verdade.

Quis Deus que no dia que foi o julgamento do meu mandato que ele pediu, foi julgado o HC dele também. Que ele reflita isso, de quem está com a verdade, eu ganhei de seis a zero e ele perdeu de seis a zero no mesmo dia.

O que eu espero é que a família possa refletir que ele está precisando de ajuda, tratamento médico. Eu não tenho raiva e nem ódio por ele. Estou orando por ele e para que a família dele entenda que ele está precisando de tratamento médico.”

NENHUM COMENTÁRIO