Denúncia de tentativa de suborno de Garotinho a juiz é enviada pelo TRE ao Juízo da 100ª

0

O que está ruim sempre pode piorar (Murphy)

A Desembargadora Cristina Serra Feijó, do Tribunal Regional Eleitoral, determinou a remessa de denúncia do Ministério Público contra Anthony Garotinho, acusado de “oferecimento de quantias milionárias” a pessoas ligadas ao juiz da 100ª zona eleitoral a fim de evitar sua prisão e a de seu filho Wladimir, em inquérito da Polícia Federal, para providências, ao juizo da 100ª. (do Blog de Fernando Leite)
grana-Garotinho

Entenda o caso:

O Globo – por Madalena Romeo – 19/11/2016

 RIO — A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro (PRE/RJ) solicitou à Polícia Federal para que investigue denúncia do juiz da 100ª Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazes, Glaucenir Silva de Oliveira, de que o ex-governador Anthony Garotinho e o filho dele Wladimir Matheus teriam oferecido R$ 1,5 milhão e R$ 5 milhões, por meio de terceiros, para influenciar o magistrado e evitar a prisão do ex-governador. O relato foi feito à Procuradoria Eleitoral pelo próprio juiz, que decretou a prisão do ex-governador .

De acordo com o procurador regional eleitoral Sidney Madruga, o magistrado relatou que intermediários do ex-governador procuraram pessoas próximas dele para oferecer o dinheiro. “Foram duas propostas: uma de R$ 1,5 milhão e outra de R$ 5 milhões”.

O advogado de Garotinho, Fernando Augusto Fernandes, nega as acusações e informou que vai representar contra o juiz da 100ª Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazespelo pelo crime de denunciação caluniosa.

“As atitudes do juiz, as cenas grotescas da semana passada e o abuso de autoridade merecem resposta unicamente jurídica. E o juiz irá responder criminalmente por denunciação caluniosa, previstos no Artigo 339”, diz o advogado em nota.

O procurador ressalta que essa não é a única tentativa de interferência nas investigações da Operação Chequinho, sobre uso do programa Cheque Cidadão na compra de votos em Campos, que está sendo investigada. A procuradoria apura também ameaça a um procurador eleitoral de Campos que participava das investigações. Madruga ressalta, porém, que a amaeaça ainda está sendo investigada sob sigilo e não pode ser atribuída a Garotinho.

 

Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/juiz-diz-que-garotinho-ofereceu-propina-para-evitar-prisao-20500291#ixzz4inFdrKjd

NENHUM COMENTÁRIO