Auxiliadora critica vacinação e apanha, de novo, nas redes sociais

0
A paixão de auxiliadora por Rosinha está fazendo com que vire alvo na rede
Leia o texto de Auxiliadora na íntegra trasncrito nessa publicação
Leia o texto de Auxiliadora na íntegra trasncrito nessa publicação
A democracia das redes sociais não está aceitando as críticas infundadas dos Rosáceos
   A democracia das redes sociais não está aceitando as críticas infundadas dos RosáceosA ex-vereadora Auxiliadora Freitas parece que não se cansa de tanto apanhar nas redes sociais. Primeiro tentando fazer críticas ao novo governo alegando que no Governo Rosinha chovia mais e nesse menos e, portanto, não poderia haver alagamentos, no que foi duramente contestada até por sua filha Ilana Freitas:

Sua cidade poderia até está linda ! Porém sua rua está interditada, pela chuva. Sabe por que ? Porque o grupo político que você pertence nunca te deu valor, é desleal, covarde!!! Você foi vereadora por 4 anos defendendo a causa deles. E o que eles fizeram por você ? Sua rua inundada sua casa alagada !!!! Para mim chega !!!! Bando de covardes !!!!! Quero que essa publicação chegue a eles Rosângela Matheus e Anthony garotinho”.

Dessa vez, fazendo estranhas, incoerentes e equivocadas críticas à vacinação através do seu Face, ela desperdiçou mais uma excelente oportunidade de ficar calada, e os internautas não perdoaram… Confira:

A paixão de auxiliadora por Rosinha está fazendo com que vire alvo na rede
A paixão de auxiliadora por Rosinha está fazendo com que vire alvo na rede

Auxiliadora Freitas

(NR: Nota da redação)

“Fui procurada por várias pessoas para testemunharam o que passaram mas imensas filas de vacinação neste final de semana. Então cabe aqui umas reflexões.

As filas imensas para a vacinação em Campos da febre amarela ao meu ver deveria para ter eficiência e eficácia uma outra logística de gestão pelas minhas observações, apesar não ser autoridade de saúde. Seria mais humana e competente (NR: onde a modéstia?) como por exemplo:

– Porque optar por longas filas ao longo dos pontos fixos e centralizados?

– Aumentar a percepção midiática da população no governo ?

– As autoridades epidemiológicas sabem que levar as vacinas as pessoas é mais eficaz do que juntar muitos num mesmo local . Evitar aglomerações. Então como não evitar um princípio básico do processo imunológico? (NR: nesse pondo a vereadora mostrou não saber que a Febre Amarela não é transmitida pessoa a pessoa)

– Porque não usar a estrutura primária das UBS em seus bairros e distritos para atender com maior segurança física, emocional e humana aos cidadãos? (NR: UBS’s estão sendo utilizadas)

– A estrutura do PSF – Programa Saúde da Família ou similar existente não poderia ter sido utilizada?

– Alunos, professores e funcionários não poderiam receber uma pessoa nas escolas e universidades e serem vacinadas?

O restante do esforço de vacinar a todos e não imunizados ficar atendido por equipes móveis e os centros de vacinação? (ela anda confusa)

Bem são reflexões e observações de cidadania.
Não sei se estou certa. Mas certamente seria mais produtivo e humano o atendimento.

Será que a logística efetivada serviu para que e a quem? Eu tenho uma conclusão. Mas deixo você com a sua.
Mas não posso como sujeito histórico no processo Social que vivo e ser ativo (NR: sujeito histórico, ativo?) concluir que
precisamos de política nova (nova, ou a do seu grupo?. E política nova é fazer o melhor para o povo e não para a imagem dos governos a custa do sofrimento do cidadao em enormes filas onde 3 horas era o mínimo de tempo que se levava.
Será que a imagem midiática explorada por parte da imprensa é mais importante que o humano? (insinuações contra a imprensa e o governo)
Sei lá penso que estou fora do contexto político.
As filas imensas para a vacinação em Campos da febre amarela ao meu ver deveria para ter eficiência e eficácia uma outra logística de gestão pelas minhas observações, apesar não ser autoridade de saúde. Seria mais humana e competente como por exemplo:

– Porque optar por longas filas ao longo dos pontos fixos e centralizados?

– Aumentar a percepção midiática da população no governo? (NR: novamente suposições críticas)

– As autoridades epidemiológicas sabem que levar as vacinas as pessoas é mais eficaz do que juntar muitos num mesmo local. Evitar aglomerações. Então como não evitar um princípio básico do processo imunológico? (NR: a ex-vereadora insiste no erro, da transmissão)

– Porque não usar a estrutura primária das UBS em seus bairros e distritos para atender com maior segurança física, emocional e humana aos cidadãos?

– A estrutura do PSF – Programa Saúde da Família ou similar existente não poderia ter sido utilizada?

– Alunos, professores e funcionários não poderiam receber uma pessoa nas escolas e universidades e serem vacinadas?

O restante do esforço de vacinar a todos e não imunizados ficar atendido por equipes móveis e os centros de vacinação? (NR: a ex-vereadora, sem argumentos convincentes, fica repetitiva)

Bem são reflexões e observações de cidadania.
Não sei se estou certa. Mas certamente seria mais produtivo e humano o atendimento.

Será que a logística efetivada serviu para que e a quem? Eu tenho uma conclusão. Mas deixo você com a sua.
Mas não posso como sujeito histórico no processo Social que vivo e ser ativo concluir que
precisamos de política nova. E política nova é fazer o melhor para o povo e não para a imagem dos governos a custa do sofrimento do cidadão em enormes filas onde 3 horas era o mínimo de tempo que se levava .
Será que a imagem midiática do governo explorada por parte da imprensa é mais importante que o humano?
Sei lá penso que estou fora do contexto político (NR: nisso concordamos. Finalmente a ex-vereadora falou algo coerente).

NENHUM COMENTÁRIO