Reunião de Garotinho e Rosinha com a Facção Rosa é barrada pela Justiça Eleitoral

0
Reunião de ontem de Rosinha e Garotinho no Clube de Regatas Rio Branco, foi impedida por fiscais eleitorais por ordem do juiz Ralph Manhães

A novela mexicana da lapa

Deu ziquizira na anunciada reunião de ontem de Rosinha e Garotinho no Clube de Regatas Rio Branco, impedida por fiscais eleitorais por ordem do juiz Ralph Manhães, que suspendeu o evento. Diante da ordem judicial, algumas dezenas de militantes foram em caminhada até a frente da famosa “Casinha da Lapa”, onde Rosinha subiu no caput de um carro aos brados de “queremos Justiça!”. Mais?

Medo & Pirraça

Após o juiz Ralph Manhães da 129ª Zona Eleitoral, responsável pela fiscalização pré-eleitoral de Campos suspender uma reunião de Garotinho no Clube Rio Branco, impedida por fiscais eleitorais, manifestantes da Facção Rosa se aglomeraram em frente da casa de Rosinha e Garotinho, onde ela subiu no caput de um carro e anunciou que Garotinho não iria falar, aparentemente por medo de uma futura impugnação de candidatura por propaganda eleitoral extemporânea, repetindo aos berros a velha ladainha de que queriam justiça e que estavam sendo perseguidos.

Preferia pagar a multa

Sempre muito exagerado, Garotinho avaliou a presença de cerca de 600 pessoas no clube, seu filho Wladimir não teve o menor pudor em exagerar mais que o pai dizendo, em seu Face, que havia mais de 2000 pessoas. Ambos os disparates foram rebatidos por observadores que estimaram a presença de 200 pessoas.

Bastante frustrado com a proibição da reunião, Garotinho voltou ao estribilho de “perseguição” do juiz Ralph Manhães:

“Eu estava vindo de Itaperuna, onde realizamos um encontro com a presença de prefeitos, lideranças comunitárias, empresários, para Campos, para fazer a reunião no Clube de Regatas Rio Branco. Quando eu já estava próximo do local, fui comunicado da presença de oito fiscais do TRE e um oficial de Justiça com uma decisão do juiz. Mais uma vez, sempre ele, Ralph Manhães, proibindo a realização da reunião. Isso é o maior absurdo do mundo. Qual foi o argumento que ele usou? É que a reunião não poderia ser realizada porque eu poderia fazer propaganda política. Se eu fizesse propaganda política, ele que me aplicasse multa, fizesse o que quisesse. Mas, me proibir de fazer a reunião, aí já é demais.”

Rosinha ser prefeita de novo da cidade que suas gestões deixaram arrasada

Por outro lado, a ex-prefeita Rosinha Garotinho, mostrando grande irritação, pedia justiça aos gritos e, sem a menor modéstia, e esquecendo-se de todos os processos, e das contas reprovadas pelo TCE, gabava-se:

“Eu não vim candidata a senadora porque eu não quis, eu não vim candidata a deputada federal nem estadual porque eu não quis. Eu poderia ser. Porque o que eu quero mesmo, no meu coração, é ser prefeita de novo pra botar ordem nessa cidade”.

Diante da declaração de Rosinha, o sonho de Wladimir acabou? Assim, terminou o capítulo de hoje dessa novela mexicana encenada às margens do Paraíba

NENHUM COMENTÁRIO