Garotinho condenado a indenizar prefeito Rafael Diniz por danos morais

1
Traído pela própria língua...
Garotinho segue colecionando sentenças

Como foi previsto pelo Somos Online em 23 de junho de 2017, Garotinho foi condenado pelo Juiz Paulo Maurício Simão, da 1ª Vara Cível de Campos, por danos morais ao divulgar falso diálogo em seu blog e nas redes sociais, sob o título “A conversa constrangedora de Rafael e seus amigos”, um longo e muito mal construído texto, onde se faz graves acusações contra o prefeito e diversas pessoas. Na época, confrontado pelo Somos Online, Garotinho chegou a afirmar que havia destruído provas (gravação), inexistentes: “Além disso, empenhei minha palavra que a prova seria destruída imediatamente, como foi, e o nome da pessoa preservado, como a lei me garante do “sigilo da fonte”.

A suposta fonte do falso diálogo foi logo revelada:

“Bastou uma bem feita pesquisa em postagens do Facebook (origem, datas e horários) para que fosse desmascarada toda a farsa do falso diálogo de Rafael Diniz, divulgado pelo ex-co-prefeito de Campos Garotinho, em seu blog e nas redes sociais, sob o título “A conversa constrangedora de Rafael e seus amigos”, um longo e muito mal construído texto, onde se faz graves acusações contra diversas pessoas. Garotinho chegou a afirmar que havia destruído provas (gravação), inexistentes: “Além disso, empenhei minha palavra que a prova seria destruída imediatamente, como foi, e o nome da pessoa preservado, como a lei me garante do “sigilo da fonte”.”

Militante não viu, nem ouviu, só inventou…

Entendam toda a trama aqui: http://somosassim.com.br/portal/desmascarada-a-trama-do-falso-dialogo-de-rafael-diniz-divulgado-por-garotinho/

Sentença

A sentença do Juiz Paulo Maurício Simão,

Da 1ª Vara Cível de Campos, condena Garotinho a indenizar o prefeito Rafael Diniz em 30 mil reais e a retirar de seu blog e redes sociais os conteúdos denunciados.

“Condeno o réu a realizar a indisponibilização dos conteúdos de fls. 20/34, hospedado em seu blog, cuja URL é http://www.blogdogarotinho.com.br, sob pena de multa diária no valor de R$ 4.000,00 (quatro mil reais) em caso de descumprimento, até o limite de R$40.000,00 (quarenta mil reais).

Condeno o Réu, ainda, ao pagamento de indenização de danos morais no valor de R$ 30.000,00 (seis mil reais), com juros a contar da citação e correção monetária a partir da sentença; e ao pagamento das custas processuais e honorários advocatícios que fixo em 10% sobre o valor da condenação. Transitada em julgado a sentença e certificado o correto recolhimento das custas, dê-se baixa e arquive-se.

Campos dos Goytacazes, 28/06/2018.

Paulo Maurício Simão Filho – Juiz de Direito” 

Outras condenações

Calúnia & Difamação

A juíza Alessandra Bilac, da 40ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça RJ condenou o pré-candidato ao Governo do Estado Garotinho a 16 meses de detenção pelos crimes de calúnia e difamação em seu blog contra o ex-comandante do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (BOPE), Rodrigo Pimentel.

Garotinho afirmou em seu blog que Pimentel foi desligado da corporação por ter urinado nas calças durante operação do BOBE em uma favela do Rio de Janeiro. Além disso, Garotinho chamou o ex-integrante do Bope de covarde relatando que durante a operação policial, Pimentel teria tido um ataque de pânico, precisando ser substituído por um colega.

Por conta disso, além da pena de prisão de um ano e meio, transformada em serviços comunitários, o falador Garotinho ainda vai amargar o pagamento de 50 mil reais a serem revertidos para o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Outras

Garotinho foi condenado a dois anos e oito meses de prisão por calúnia em maio de 2016. A pena foi substituída pelo pagamento de 200 salários mínimos e pela execução de serviços à comunidade e de 532 dias-multa no valor de um salário mínimo cada. A condenação se deu depois de Garotinho acusar o juiz Marcelo Leonardo Tavares de corrupção passiva e prevaricação.

A partir de uma ação do Ministério Público Federal (MPF), o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) confirmou a condenação do ex-governador Anthony Garotinho a dois anos e oito meses de prisão e multa por caluniar o juiz. O crime foi cometido em novembro de 2011 e fevereiro de 2012, quando o réu escreveu em seu blog que o juiz federal Marcelo Leonardo Tavares cometeu corrupção e prevaricação ao proferir a sentença de um processo contra ele. A pena foi convertida para o pagamento de mais de 200 salários-mínimos e prestação de serviços à comunidade.

Chefe de quadrilha

Álvaro Lins e o cumplície Garotinho, chefe de quadrilha armada

O ex-governador já foi condenado a dois anos e meio de prisão por formação de quadrilha e uso da Polícia Civil para cometer crimes como corrupção e lavagem de bens. Em 2006, a Operação Gladiador descobriu que a polícia fluminense recebia propina para favorecer uma máfia de caça-níqueis. O esquema começou em 2003, quando Garotinho era o secretário de Segurança Pública. A condenação aconteceu em agosto em 2010. Foi pedido aumento de pena e ele ainda recorre em liberdade. Na época Garotinho ironizou a sentença: “minha condenação é dar cesta básica, bacana! Fui condenado a fazer o bem ao povo, o que sempre fiz”. Está andando…

Quase dez anos de cadeia

Garotinho na caçapa do camburão em direção a Bangu

Garotinho também foi condenado a 9 anos, 11 meses e 10 dias de prisão pela prática dos crimes de corrupção eleitoral, associação criminosa, supressão de documento público e coação durante o processo.

A decisão foi do juiz Ralph Machado Manhães Junior, da 100ª Zona Eleitoral, que entendeu que Garotinho usou ilicitamente o programa Cheque Cidadão, de Campos dos Goytacazes, para comprar votos para tentar eleger seus candidatos nas eleições municipais de 2016.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, concedeu liminar em Habeas corpus (HC) impetrado pelo ex-governador Anthony Garotinho (PRP) e suspendeu o julgamento pelo TRE da Ação Penal em que o político foi condenado e preso na Chequinho.

A suspensão vale até que o mérito do HC seja julgado pelo STF.

1 COMENTÁRIO

  1. Anthony Garotinho nunca foi um santo e nunca vai ser. Tem que levar um baita prejuízo toda vez que ele abrir a boca pra falar de alguém ou postar algo sem provas concretas. Sem esquecer de dizer que a esposa dele também não é nenhuma santa.