Feira da Roça é uma boa alternativa contra o desabastecimento de frutas e legumes

0

O o projeto é desenvolvido em vários pontos do município de terça a sábado,  das 6h às 13h

O desabastecimento de hortaliças, legumes, tubérculos e alguns tipos de frutas nas feiras livres, hortifrutis e supermercados de Campos, que já acontece em função da paralisação nacional dos caminhoneiros, pode ser amenizado em parte pelos pequenos agricultores que participam do programa Feira da Roça, da Superintendência de Agricultura e Pecuária. O superintendente Nildo Cardoso destaca a qualidade dos alimentos produzidos na região e a incerteza gerada pelo movimento grevista.

— Essa greve pode não terminar agora. E mesmo que acabe logo, levará alguns dias para que o abastecimento volte ao normal, porque os postos das cidades estão sem combustíveis. Por isso os agricultores da Feira da Roça podem suprir em parte a demanda, substituindo os produtos trazidos das regiões serranas do Rio de Janeiro e do Espírito Santo — afirma Nildo.

O superintendente destaca as boas produções de hortaliças, legumes, tubérculos e frutas nas regiões do Imbé, na Baixada Campista, como Caboio, nos assentamentos Zumbi, em Brejo Grande, e no Carvão, além das áreas da Região Norte do município, como Sesmaria, no distrito de Morro do Coco; Vila Nova e outras localidades. O superintendente espera ainda a participação dos integrantes do programa de Hortas Comunitárias, a maioria na área urbana, hoje com mais de 100 unidades.

Devido ao desabastecimento cada vez maior, o superintendente espera também grande movimento nas duas feiras de sábado, realizadas na praça da Igreja do Saco, no Parque Leopoldina, e no distrito de Goitacazes, na Praça da Igreja São Gonçalo. “Acreditamos que em poucas horas eles terão vendido tudo. Vamos ver com eles também se poderão vender em outros dias. É claro que tudo vai depender das condições que terão para levar os produtos até os locais da feira, já que também precisarão de combustível. Quem possui veículo a gás, terá mais facilidade”, conclui Nildo.

Por: Edson Cordeiro – Foto: Divulgação

NENHUM COMENTÁRIO