Medo de Marcão leva Facção Rosa a disparar Fake News de inelegibilidade

1

A partir dessa publicação, o Somos Online passará a desmentir as mentiras virtuais, Fake News, jogadas nas redes sociais como se verdade fosse. Para dar início à série, desmascaramos a Fake News de que o vereador Marcão estaria inelegível. Confira.

Todo mundo já sabe que as próximas eleições em Campos e região serão pautadas pelo desespero do grupo político de Garotinho e Rosinha, ele condenado a quase dez anos de cadeia, ambos apeados do poder em franca decadência, egressos do presídio de Bangu, e alvos de outras graves operações policiais ainda em andamento. Isso está levando o seu grupo a intensificar a utilização de artifícios pouco recomendados e anti-éticos no jogo político.

Desespero

Um forte sintoma do descontrole que atinge a Facção Rosa é a enorme preocupação com o crescimento político do seu principal adversário, Marcão Gomes, pré-candidato a deputado federal, o que parece estar levando o grupo político de Garotinho a apelar para qualquer subterfúgio, como a divulgação de Fake News nas redes sociais alegando que o vereador Marcão estaria inelegível. Uma estratégia primária, que apenas tenta reduzir a debandada dos seus cabos eleitorais e apoiadores decepcionados e desiludidos com o grupo.

Fake News circulando nas redes sociais
Fake News circulando nas redes sociais em nome de suposto “Líder Garotinho”

Vejam bem como a mentira tem pernas curtas e rosadas:

A mudança de Marcão para o PR, o mesmo que ejetou Garotinho dos seus quadros, foi realizada estritamente dentro do prazo legal de 06 meses antes do pleito, além disso, veja abaixo todas as condições de elegibilidade essenciais para a existência de uma candidatura, requisitos fáceis de se conferir, pois estão previstos no artigo 14 da Constituição Federal:

1) Nacionalidade brasileira;

2) Pleno exercício dos direitos políticos;

3) Alistamento eleitoral;

4) Domicílio eleitoral na circunscrição pelo prazo de 06 meses antes do pleito;

5) Filiação partidária prazo legal de 6 meses antes do pleito

Inelegibilidade

Além das condições de elegibilidade, os candidatos não podem incorrer nas causas de inelegibilidade, principalmente no que se refere à Lei da Ficha Limpa, que tem sido responsável por impedir inúmeras candidaturas de pessoas condenadas por órgão colegiado judicial por improbidade administrativa, ilícitos eleitorais e/ ou criminais, bem como aqueles que possuem contas rejeitadas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas.

Mentira repetida

Portanto, ao contrário do velho artifício garotista da mentira repetida, agora em sua guerrilha de Facebook, e apesar de incomodá-los tanto, o vereador Marcão Gomes (PR) está livre para se candidatar a qualquer cargo nas próximas eleições, pois a sua desfiliação da Rede no prazo hábil nada impede para a sua candidatura.

Vejam bem como a mentira tem pernas curtas e rosadas:

Com crescimento político Marcão se torna alvo de Fake News rosáceas
Com crescimento político, Marcão se torna alvo de Fake News rosáceas

A mudança de Marcão para o PR, o mesmo que ejetou Garotinho dos seus quadros, foi realizada estritamente dentro do prazo legal de 06 meses antes do pleito, além disso, veja abaixo todas as condições de elegibilidade essenciais para a existência de uma candidatura, requisitos fáceis de se conferir, pois estão previstos no artigo 14 da Constituição Federal:

1) Nacionalidade brasileira;

2) Pleno exercício dos direitos políticos;

3) Alistamento eleitoral;

4) Domicílio eleitoral na circunscrição pelo prazo de 06 meses antes do pleito;

5) Filiação partidária prazo legal de 6 meses antes do pleito

Inelegibilidade

Além das condições de elegibilidade, os candidatos não podem incorrer nas causas de inelegibilidade, principalmente no que se refere à Lei da Ficha Limpa, que tem sido responsável por impedir inúmeras candidaturas de pessoas condenadas por órgão colegiado judicial por improbidade administrativa, ilícitos eleitorais e/ ou criminais, bem como aqueles que possuem contas rejeitadas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas.

Mentira repetida

Portanto, ao contrário do velho artifício garotista da mentira repetida, agora em sua guerrilha de Facebook, apesar de incomodá-los tanto, o vereador Marcão Gomes (PR) está livre para se candidatar a qualquer cargo nas próximas eleições, pois a sua desfiliação da Rede no prazo hábil nada impede para a sua candidatura.

Azedando

De real, apenas o fato que ele está causando grande preocupação e desespero ao grupo rosáceo que, com o seu crescimento político.

Moral da história

Além de preencher todos os requisitos eleitorais, Marcão, ainda por cima, é Ficha Limpa. E isso, aliado à musculatura política e crescimento eleitoral, parece estar sendo bastante doloroso para a Facção Rosa.

Em breve, caro leitor, voltaremos a desmentir aqui outros Fake News com que tentam iludir os campistas. Fique atento.

1 COMENTÁRIO

  1. Meu caro Esdras, não é bem assim. Essa janela de transferência de partido no prazo legal de seis meses antes da eleição não alcança vereadores com mandato em 2018. O Marcão poderia se desfiliar do REDE apenas por justa causa. Então ele pode sim perder o cargo.

    Veja esses sites que não tem nada a ver com rosáceos e blogs campistas:

    http://www.anoticia.online/2017/11/08/nao-tem-janela-para-vereador-em-2018/

    http://blogs.ne10.uol.com.br/jamildo/2018/02/22/advogado-alerta-que-vereador-pode-dancar-se-usar-janela-partidaria/

    Um abraço.