Conheça os riscos de fazer testes no Facebook

0

Você deve ter caído na gargalhada, nos últimos dias, dos seus amigos que participaram do teste que mostra como seria sua aparência caso fosse do gênero oposto.

Mas a aparentemente inocente brincadeira no Facebook esconde perigos que podem tornar os dados dos usuários vulneráveis.

Test-face-2

Na política de privacidade do site Kueez, responsável por operar a troca de rostos, há pontos sensíveis, que você provavelmente não aceitaria se fizesse uma leitura atenta aos tópicos. Entre os pontos suspeitos, os listados abaixo geram maior preocupação:

A) “Nós podemos compartilhar informações agregadas dos nossos usuários, após excluir as partes identificáveis, com determinadas empresas que tiverem o interesse em oferecer a você certos conteúdos promocionais que possamos achar relevantes para você”

B) “Nós podemos compartilhar suas informações pessoais parcial ou integralmente com nossas subsidiárias, outros sites operados por nós, joint ventures e outros afiliados confiáveis que nós temos ou possamos vir a ter no futuro”

C) “De acordo com o nosso Termo de Serviços, podemos usar o conteúdo enviado por você (incluindo suas fotos e de outras pessoas vinculadas à sua conta no Facebook) para aparecer como parte integral de partes dos serviços que oferecemos (por exemplo, sua foto pode aparecer em alguns quizzes ou games até mesmo para pessoas que você não conheça).

Descuido é comum

Hoje em dia é muito comum que usuários de redes sociais cliquem em jogos e apps sem pensar sobre os riscos envolvidos. Muitas vezes, estes são usados como um gancho para obter permissão para acessar informações confidenciais de usuários e outras pessoas – como contatos, mensagens privadas, localização, etc., para fins comerciais”, diz Roberto Martinez, analista de segurança da Kaspersky Lab.

No caso do teste das celebridades, a empresa Vonvon – criadora da ferramenta – solicita clicar em “Conectar-se ao Facebook” para ver o resultado, e assim recebe as informações públicas do perfil do usuário (incluindo nome, foto do perfil, idade, sexo, idioma, país e outras informações públicas), lista de amigos, e-mail, fotos, etc.

Segundo a Kaspersky, alguns aplicativos podem afetar a privacidade do usuário, instalar outros apps ou mesmo alterar a configuração do sistema operacional de um dispositivo de forma completamente legal já que usuário clicou em “aceito” durante o processo de instalação.

“Ao permitir esse acesso, você deve se fazer algumas perguntas importantes, como: quais informações foram solicitadas, essa informação é necessária para esse aplicativo e o que eles podem fazer com essa informação”, conta Martinez. No caso da Vonvon, os dados recolhidos são usados para promover seus produtos via e-mail e para outros propósitos de marketing, que não são especificados.

Sua privacidade de portas abertas

Em resumo, ao aceitar os termos do contrato você autoriza que a empresa faça uso comercial dos seus dados, sem que você fique sabendo. Ou seja, suas informações pessoais e fotos poderão ser usadas em produtos futuros e você não poderá contestar a publicação.

Como minimizar efeitos negativos

Se você já aceitou participar de brincadeiras do tipo, pode minimizar o impacto das liberações ao acessar as suas configurações de aplicativos do Facebook. No link, é possível remover as permissões já concedidas a todos os apps que você já usou na rede social. No entanto, nada garante que os seus dados já não tenham sido gravados ou utilizados pelas empresas.

NENHUM COMENTÁRIO