Wladimir Garotinho diz que pediu e noivo da irmã Clarissa bancou a noitada na Sapucaí

0

O filho de Garotinho e Rosinha, Wladimir Garotinho diz que foi com a esposa para noitada de mordomias no camarote de luxo na Sapucaí na “aba” do cunhado Marcos Alvite, noivo de Clarissa Garotinho e, segundo ele, um dos sócios da franquia Wood’s no Rio. E os outros sócios e o Grupo Wood’s teriam sido reembolsados pela despesa particular do cunhado, filho de Rosinha e Garotinho?

Clarissa Garotinho e o noivo Marcos Alvite
Clarissa Garotinho e o noivo Marcos Alvite

Ficou nervoso

Como foi publicado AQUI no Somos, o filho de Garotinho, Wladimir Matheus, e a sua esposa Tassiana passaram uma noite regada a mordomias na Sapucaí em um dos “14 camarotes mais caros do Brasil, segundo o site UOL”, leia AQUI, exatamente na segunda-feira (12), a noite que apresentou o preço mais alto do ingresso, custando R$ 1.790 reais, x 2 = 3.580 reais.

O filho de Garotinho não gostou nada da publicação, afinal, ele é filho de pastor e pastora, pelo menos segundo os diplomas de teologia à distância apresentados pelos seus pais para tentar se livrar da cela comum na cadeia, e, populista como a família, ele tenta se identificar com a camada mais carente da população.

Pão com mortadela

DEMAGOGIA: Wladimir distribuindo pão com mortadela em frente ao Restaurante Popular
DEMAGOGIA: Wladimir distribuindo pão com mortadela em frente ao Restaurante Popular

Além disso, o “candidato do pão com mortadela” foi protagonista de uma demagógica distribuição desses pães com mortadela na frente do Restaurante Popular de Campos, bem diferente dos 30 pratos de alta gastronomia à disposição do casal durante a noitada no badalado camarote na Sapucaí, no Rio de Janeiro.

Resposta de Wladimir

Segundo respondeu o filho de Garotinho e Rosinha Wladimir:

“O camarote é de propriedade do meu cunhado, que é um dos donos da franquia Wood’s no Rio de Janeiro, sabe qto me custou ir lá? Um pedido a ele.”

Camarote-resposta - Wladimir

Quando questionado sobre qual seria a sua profissão e a origem da sua geometrica progressão financeira, Wladimir nada respondeu.

Filosofia do Grupo Wood’s

“A gente não quer mais parar de crescer.” É com essa frase que um dos sócios e criadores da rede de baladas Wood’s, Charles Bonissoni, resume o pensamento da empresa para os próximos anos. A ambição faz sentido. Afinal, o Grupo WDS/SA, que engloba a rede de baladas e outros negócios, já possui dezenas de casas e franquias.

Generosa doação

Será que faz parte da política do grupo, com forte foco empresarial, a doação de cortesias no valor de R$ 1.790 reais ao cunhado de um dos sócios da franquia Wood’s Rio e sua esposa? Essa pergunta foi feita pelo Somos à assessoria geral do grupo e aguardamos a resposta.

Ameaça vai para DP

Na mesma publicação, o senhor Vinícius Sales, que se apresenta no Facebook como trabalhando no Goytacaz Futebol Clube, fez ameaça direta ao diretor do Somos Online jornalista Esdras Pereira em seu comentário, na chamada da página do Somos no Facebook, para a reportagem que mostra Wladimir Garotinho na noite do camarote de luxo na Sapucaí. A ameaça será devidamente levada à 134 Delegacia de Polícia para que as providências legais e policiais sejam tomadas

Camarote-ameaça

Militante de Ozéias

Em seu perfil no Facebook, o senhor Vinícius demonstra ser militante do vereador Ozéias, em cuja casa foi encontrada a lista de nomes e cotas de Cheques Cidadão que deram origem à Operação Chequinho que desvendou o maior escândalo de compra de votos com Cheques Cidadão pagos com dinheiro público e que levou à condenação do seu líder pessoal Ozéias a cinco anos e quatro meses de prisão em regime semi-aberto, além da perda do cargo na Câmara, e também à condenação de mais nove vereadores e do líder da facção Rosa, Garotinho, pai de Wladimir Matheus, esse a quase dez anos de cadeia.

Liderado

“Sempre junto com meu líder político. Ainda mais recebendo uma moção de aplausos pela câmera de vereadores… obrigado vereador Ozeias Martins.” (Vinícius Sales)

Mais uma derrota

O nervosismo do filho de Rosinha e Garotinho é até compreensível, já que para aumentar as desventuras em série da Facção Rosa, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um recurso do seu pai o ex-governador Anthony Garotinho para anular a ação penal no qual foi condenado em primeira instância a 9 anos e 11 meses de prisão em regime fechado por “comandar o esquema” de troca de votos por Cheque Cidadão na última eleição municipal em Campos, o que aumenta bastante as possibilidades de que seu pai Garotinho volte para a cadeia para cumprir a sua pena sem direito a esperneio.

Abaixo uma homenagem musical de Bezerra da Silva aqueles que ficam na “Aba” de alguém.

NENHUM COMENTÁRIO