Procuradoria Geral da República denuncia Jonas Lopes Filho, Jonas Neto e mais três

0

Jonas Lopes se complica em venda de decisões

 A Procuradoria Geral da República ofereceu denúncia ao Superior Tribunal de Justiça contra o ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE/RJ) Jonas Lopes de Carvalho Filho, Jonas Neto e outras três pessoas por envolvimento em esquema de venda de decisões proferidas pela Corte de contas, com a participação de outros conselheiros, corrupção, lavagem de dinheiro, crime contra o sistema financeiro nacional e quadrilha.

Condutas criminosas

A acusação trata de condutas criminosas praticadas entre três períodos sucessivos (2000 a 2006, 2007 a 2010 e 2011 a 2016) envolvendo corrupção, além de lavagem de dinheiro e evasão de divisas e associação criminosa.

Cúmplices

Além do ex-presidente da corte e o filho, são alvos da denúncia Jorge Luiz Mendes Pereira da Silva, Álvargo José Galliez Novis e Edimar Moreira Dantas.

De acordo com as investigações, o competia ao então presidente os contatos com os interessados, as solicitações, o controle do gerenciamento da coleta e a distribuição das quantias acertas no esquema de corrupção, sempre a partir da prévia aquiescência dos conselheiros participantes.

Conta no exterior, fazendas e gado

Jonas Lopes é o maior fazendeiro de Além Paraíba, proprietário da Josan Agropecuária, uma fazenda imensa
Jonas Lopes é o maior fazendeiro de Além Paraíba, proprietário da Josan Agropecuária, uma fazenda imensa

A denúncia aponta que os valores serviram para determinar avaliações menos rigorosas nos processos submetidos a julgamento da Corte. Há provas de que parte do dinheiro foi ocultada em conta mantida no exterior e outra convertida em animais bovinos e terras rurais, como forma de dissimular a natureza criminosa dos ativos, configurando os crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

O enriquecimento geométrico de Jonas Lopes na agropecuária foi apontado pelo SOMOS em 15 de março de 2017 sob o título: Aposentadoria premiada: Jonas Lopes, o “Rei do Gado” VEJA AQUI

Pedido da PGR

A PGR pede que os denunciados recebam as penas e sanções ajustadas nos acordos de colaboração premiada firmados com o Ministério Público Federal. O MPF pediu ao STJ para dividir o inquérito e continuar investigando os outros conselheiros suspeitos de participação no esquema.

NENHUM COMENTÁRIO