Situação dos moradores de rua será debatida em evento realizado pelo Isecensa na Praça São Salvador

0
Com o inverno se aproximando os moradores de rua de Campos precisam de mais atenção

Clínica Nômade Voz da Rua, um projeto do Isecensa

No próximo dia 22, quinta-feira, será realizado na Praça São Salvador um evento para discutir as condições das pessoas que vivem nas ruas em Campos, sob o mote “O que mata não é só o frio e a fome, mas, também, a indiferença e a negação de direitos”.

A iniciativa é da Clínica Nômade Voz da Rua, projeto idealizado pelo Isecensa (Institutos Superiores de Ensino do Censa) com o objetivo de possibilitar o acesso da população em situação de rua ao atendimento psicológico.

Moradores em situação de rua na madrugada da Praça São Salvador
Moradores em situação de rua na madrugada da Praça São Salvador

Ações que agregam

A programação terá início a partir das 17h, com debates, rodas de conversa e apresentações artísticas. “Propor uma discussão inserindo este grupo tão vulnerável é mais que urgente, uma vez que os próprios moradores de rua não sabem dos direitos que têm”, afirma Patrícia Constantino, professora do Isecensa e coordenadora do projeto. A docente reforça, ainda, a importância da ação para estudantes e profissionais da Psicologia. “Ações deste segmento agregam imenso valor ao papel social do psicólogo ou futuro profissional da área e sua vocação no trabalho das Políticas Públicas”, acrescenta.

Conselhos apóiam

O evento contará com a presença de Admilson Alves Tavares, representante do Movimento Nacional de População de Rua e membro do Conselho Nacional de Direitos Humanos, que já foi morador de rua. O Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro e instituições que trabalham em prol desta parcela da sociedade também apóiam a iniciativa.

Conceito

Sobre a Clínica Nômade Voz da Rua – O projeto existe há cinco anos e se baseia no conceito de Clínica Peripatética, cuja prática é realizada fora dos meios tradicionais, como hospitais e consultórios. “Para nós, o mais importante é o estabelecimento de vínculos e, a partir disso, o direcionamento de demandas que forem surgindo para as áreas de saúde e assistência social do município”, explica a vice-diretora do Isecensa, Elizabeth Landim.

Intervenções

A intervenção nas ruas de Campos acontece semanalmente, às quintas e sextas-feiras, com a participação de equipe composta por professores e estudantes de Psicologia da instituição. Segundo a coordenadora Patrícia Constantino, uma grande inspiração foi o projeto Consultório de Rua, da Universidade Federal da Bahia (UFBA). No local, a equipe precursora da Clínica Nômade Voz da Rua buscou conhecimentos e aprendizado da metodologia de trabalho, adaptando para a realidade de Campos.

Olho no olho

“Cada informação passada e compreendida, cada encaminhamento feito, cada conversa travada olho no olho já faz muita diferença na vida dessas pessoas, sem vez e voz. Eles sempre fazem questão de reforçar que nós os tratamos ‘como gente’. E é sentada no papelão, no meio deles, que nossa equipe conduz essa ação”, conclui a professora.

Por – Ímpar Comunicação

NENHUM COMENTÁRIO