Garotinho diz ter destruído provas das acusações que fez e será processado por Rafael Diniz

1

Nessa segunda-feira, Garotinho deverá colher vários novos processos judiciais, como resultado da publicação do texto “A conversa constrangedora de Rafael e seus amigos”, postado em seu blog e nas redes sociais, onde faz graves acusações contra diversas pessoas.

Farsa em Lapa menor…

Garotinho não mede consequências
Garotinho não mede consequências

Essa última façanha de Garotinho, construída para “viralizar” nas redes sociais, não obteve os resultados esperados. A farsa apenas espocou tênue como fogo fátuo após ser incensada no imaginário do contumaz canastrão nessa tão discutível, quanto deslavada, arte da mentira e enganação… Seus maiores resultados ficaram reservados para o judiciário.

Vingança contra a opinião pública?

Sem os necessários pudores e cuidados, que nunca teve, Garotinho, ao publicar em seu blog essa suposta conversa, repleta de acusações, deixou vislumbrar um forte sentimento de vingança a qualquer preço.

Não se pode afirmar que foi unicamente pela frustração da derrota eleitoral do seu grupo político, simplesmente pela inveja do poder, ou apenas por algum tipo de vingança contra a opinião pública que repudiou veementemente o seu modus operandis com a revelação do alto salário do filho Wladimir na Alerj, enquanto seguia as suas diretrizes fabricando fracassadas manifestações políticas em Campos, em plena segunda-feira. Mas, também, não se pode afirmar ao contrário…

Denunciado pela arrogância e vaidade

O certo é que Garotinho publicou, em seu blog, um longo, e muito mal construído, texto contra o prefeito Rafael Diniz, seu desafeto apenas por tê-lo vencido de roldão nas últimas eleições, onde, irresponsavelmente, reproduz uma suposta e novelesca “conversa do prefeito com um grupo de amigos” que, para qualquer leitor mais atento, tem exposta a sua participação pela arrogância e vaidade do texto onde gaba-se de ter colocado na cadeia o ex-governador Cabral, na realidade preso pela Lava Jato, e ataca o prefeito, assessores, empresários e representantes da mídia.

Primário?

Ouvidos pelo Somos Online, o prefeito Rafael Diniz e vários dos citados, envolvidos e acusados, afirmaram que nessa segunda-feira irão procurar a justiça para responsabilizar o marido e ex-secretário de Rosinha, que deverá ficar em uma situação judicial ainda mais complicada do que já se encontra, pois já teria perdido a primariedade por conta de outras condenações.

Autores conhecidos

O texto, considerado uma obra de ficção muito mal construída, está sendo creditado por atentos observadores a advogado e jornalista ligados ao grupo que foi ejetado do poder em Campos.

Contradições

Contraditoriamente, a “historinha” contém 461 palavras, como se alguém que ouvisse uma conversa de tantas pessoas pudesse lembrar-se ao pé da letra de tanto texto.

Ou, na hipótese de uma gravação, agora aventada por Garotinho diante dessa contradição para tentar dar credibilidade a sua ilação, descrever sentimentos e estados de espírito através de um áudio que ele diz já ter destruído.

Isso apenas revela mais uma forte contradição ao seu estilo de atacar todos os seus adversários com tudo que tem e até, vê-se agora, com o que não tem…

Quem o conhece sabe que se tal gravação existisse, e fosse verídica, ele já a teria divulgado. E vindo dele, ela teria que ser obrigatoriamente periciada.

Risco calculado

O que ficou parecendo, é que, na avaliação de Garotinho, o ataque ao prefeito Rafael Diniz e seus amigos valeu o risco dos processos. E ele se dispõe a pagar o preço judicial.

“Autor fantasma”

Na postagem Garotinho afirma: “recebi de um jovem muito humilde a gravação que ele fez no seu telefone de uma conversa onde participaram o prefeito de Campos Rafael Diniz e alguns amigos e assessores. As horas de gravação que eu ouvi são assustadoras, comprometedoras e revelam situações constrangedoras para os citados nas conversas regadas a muita bebida”.

Garotinho diz que destruiu a prova

Mas, no mesmo texto, contraditoriamente, Garotinho declara: “Como jornalista tenho obrigação de trazer à luz apenas o que é de interesse público. Além disso, empenhei minha palavra que a prova seria destruída imediatamente, como foi, e o nome da pessoa preservado, como a lei me garante do “sigilo da fonte”.

Atolado até o pescoço

Garotinho está prestes a receber a sentença da “Chequinho”, que investigou o maior escândalo de compra de votos com Cheques Cidadão pagos com dinheiro público em Campos, sob a acusação de ser o líder do esquema. Esse envolvimento já o levou esperneando para o presídio de Bangu.

Garotinho protagonizou uma inesquecível cena de esperneio ao ser conduzido para Bangu por conta da "Chequinho"
Garotinho protagonizou uma inesquecível cena de esperneio ao ser conduzido para Bangu por conta da “Chequinho”. Em breve, saíra a sentença.

CPIs da Odebrecht e das Rosas

O maior escândalo de corrupção da história do nosso país começa a ser investigado, também, em Campos. Com as revelações da operação Lava Jato foi criada na Câmara dos Vereadores uma CPI para investigar o contrato bilionário da Prefeitura com a Odebrecht e, também, a CPI das Rosas para investigar a atuação da EMEC, na gestão Rosinha Garotinho.

Lava Jato – Odebrecht

Garotinho também é apontado nas delações da Odebrecht na Lava Jato, ao lado da esposa Rosinha, como tendo recebido 12 milhões em propinas da empresa:

“O superintendente da Odebrecht no Rio de Janeiro Leandro Azevedo afirmou que fez pagamentos milionários aos ex-governadores Anthony e Rosinha Garotinho, do PR. O também delator Benedicto Júnior já havia dito que o casal recebeu dinheiro de caixa dois.

Segundo Benedicto, que controlava o Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, os valores pagos chegaram a R$ 12 milhões. No entanto, Azevedo garantiu, durante depoimento aos promotores do Ministério Público Federal, que a quantia foi bem maior: R$ 20 milhões.

‘A distribuição dessa verba ocorreu em pelo menos três eleições, segundo o delator: duas de Rosinha Garotinho à Prefeitura de Campos, em 2008 e 2012; e uma de Garotinho ao Governo do Estado, em 2014’. ”(G1)

JBS – Garotinho

Garotinho também tem o seu nome escrito com todas as letras no alto de uma nota fiscal de três milhões de reais da OCEAN LINK SOLUTIONS LTDA, emitida contra a JBS, pelo sistema da Prefeitura de Campos, e apontada em delação como utilizada para pagamento de propina:

“Chama a atenção o fato de constar no canto superior direito da nota fiscal a seguinte observação: “PR Garotinho 17”. Além disso, o documento integra a parte da delação do executivo Ricardo Saud referente ao “senador Antônio Carlos”, do PR de São Paulo. Como se sabe, o PR é presidido no Estado do Rio de Janeiro pelo ex-governador Anthony Garotinho que, à época da emissão da nota fiscal (01/09/2014), era deputado federal e candidato ao governo do RJ.” (Ricardo André)

Nota-garotinho-nome-capa-xxx

A empresa emissora OCEAN LINK SOLUTIONS LTDA faz parte de um grupo de 13 empresas, entre elas a famosa Working, aquela que recebia todos os pagamentos da prefeitura na frente das outras, mesmo em tempos de vacas magras, e que dizem ter um jovem sócio oculto campista, o que facilitaria esse tratamento privilegiado, tipo de “pai para filho”.

Triste ocaso

Como se vê, Garotinho já não mede as consequências no afã de atingir os seus adversários e de exibir-se para o que restou da sua militância. Agora, só a justiça poderá dizer qual será o seu futuro pessoal, pois do seu futuro político ele próprio tem-se encarregado, enterrando-o com as fartas pás de cal das atitudes irresponsáveis que a cada dia o descredibilizam mais.

É o triste ocaso de um promissor político, que já almejou um palácio em Brasília, mas que a cada dia fica mais próximo de uma cela em Bangu.

Veja abaixo um trecho da publicação

Os nomes dos envolvidos foram apagados para evitar contribuir com as verdadeiras intenções de Garotinho

Blog-Garotinho-rafa-1

Blog-Garotinho-rafa-2

1 COMENTÁRIO

  1. Ao meu ver nada que possa vim desta política suja do nosso município seja surpresa. O governo anterior com suas supostas acusações e o governo atual com os atos covardes e atitudes sangrentas nos bolsos dos mais pores, além do mais, uma grande perseguição política aqueles que sempre defenderam os direitos da população. O que se vê na data de hj são políticos usando o passado daqueles que não fizeram para se promover moralmente mediante a esta população tão sofrida pelos governantes, em especial o atual que entende de administração pública.