Proibido de vir ao casamento de filha de advogado da Chequinho, Garotinho dispensa Dia das Mães

0
Dia das Mães não era prioridade na agenda de Garotinho em Campos

Sempre renitente no cumprimento das ordens judiciais, inclusive aquela que o levou a passar uma noite em Bangu embalado por uma ridícula cena de esperneio divulgada na imprensa nacional, Garotinho continua mostrando uma acintosa petulância em relação ao judiciário. Na semana passada, além de pedir para passar o Dia das Mães em Campos, o que foi sabiamente autorizado pelo juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral, já que D. Samira não poderia ser punida pelas trapalhadas do filho, ele ultrapassou a linha do bom senso, vejam só, também solicitando para comparecer à festa de casamento da filha do seu advogado campista na Chequinho.

Oficio-garotinho-dia-das-maes-X

Aliás, a festa de casamento foi o primeiro item do pedido. Em segundo plano ficou o Dia das Mães, o que pode levar muita gente a concluir que apenas utilizou o meigo motivo de amor filial para tentar conseguir o da festa de casamento, que foi negado. Já que, depois disso, mesmo autorizado a passar o Dia das Mães com sua mãe, a simpática D. Samira, ou, pelo menos lhe dar uma abraço, ele dispensou a oportunidade de vir a Campos.

D.,Samira, os netos Gustavo e Lyana, e a filha katlein
D. Samira, os netos Gustavo e Lyana, e a filha kathleen

Mas D. Samira ficou bem, já que ela optou por passar o dia cercada pelo carinho da família em Campos.

Garotinho presente, levaria de presente Polícia Federal para a porta da festa de casamento

O inconsequente pedido, se concedido, deveria levar a Polícia Federal para a porta da festa, já que a PF ficou encarregada de fiscalizar a estadia de Garotinho no município. O que transformaria sua presença no evento em um verdadeiro “presente de grego” para os noivos e suas famílias, criando um clima bastante desagradável em um momento tão especial para os dois. Além de colocar em risco a própria liberdade do solicitante por um eventual encontro com outros réus da Chequinho que, porventura, estivessem no local.

Decisão

“…Fica, entretanto, vedada qualquer participação em outros eventos sociais, reuniões ou contato com testemunhas, ou demais réus das ações penais. Qualquer descumprimento desta determinação importará em quebra da medida cautelar imposta ao denunciado…” (Juiz Ralph Manhães)

Deslize no Dia das Mães poderia levar Garotinho de volta a Bangu

O final de semana de Garotinho em Campos, solicitado pelo seu milionário advogado Fernando Fernandes, que começaria na sexta e terminaria apenas na segunda-feira, tempo mais do que suficiente para as suas pouco recomendadas articulações, foi negado pelo Juiz Ralph Manhães.

O ex-co-prefeito de Campos teria que se contentar em chegar sábado a partir das 15h, participar apenas do Dia das Mães no domingo, e regressar para o Rio ao fim do dia, sob pena de quebra das medidas cautelares impostas para permitir que saísse da cadeia em Bangu, após a sua prisão por acusações da Operação Chequinho, a escandalosa compra de votos com Cheques Cidadão pagos com dinheiro público que levou dezenas dos seus militantes às barras da justiça, inclusive a sua esposa Rosinha, e para onde poderá voltar caso as tenha infringido ou venha a infringir.

Gratidão

Antes de reclamar, Garotinho deveria agradecer ao juiz Ralph Manhães por ter negado parcialmente o seu pedido. Se a solicitação fosse aceita na íntegra, seria enorme a possibilidade de que Garotinho, caso viesse a Campos, voltasse ao Rio de Janeiro em um meio de transporte bem diferente daquele que o trouxe aqui.

NENHUM COMENTÁRIO